Universidade Católica de Petrópolis garante suporte a alunos com deficiência

Segundo dados do Inep, o acesso de pessoas com deficiência no Ensino Superior aumentou mais de 500% nos últimos 10 anos



Dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apontam que o acesso de pessoas com deficiência no Ensino Superior, no Brasil, aumentou mais de 500% nos últimos 10 anos. Mas os desafios enfrentados por eles ainda são muitos e o assunto, em especial sobre surdos, foi tema da redação do Enem 2017. Mesmo com esse aumento, o número ainda é baixo, representando somente 0,42% do total de alunos matriculados. Acompanhando esse crescimento e entendendo a importância em garantir o direito à educação a todos os seus estudantes, a Universidade Católica de Petrópolis (UCP) criou o Núcleo de Acessibilidade e Apoio Pedagógico (NAAP).

Com pouco mais de um ano, o núcleo surgiu como uma ferramenta para garantir a aprendizagem efetiva do aluno e sua participação como cidadão crítico na sociedade. Criado em agosto de 2016, o NAAP já registrou aumento de 35% no número de alunos que contam com o suporte pedagógico e social do setor – hoje com 27 estudantes cadastrados.

“Faz toda diferença ter uma equipe especializada no trato com pessoas com deficiência. Lidar com pessoas que tem facilidade em entender a sua linguagem facilita o contato, pois elas identificam a sua real necessidade. Saber que a UCP tinha um núcleo voltado aos alunos com deficiência me fez sentir acolhido e que eu não estava sozinho”. O depoimento é de Ricardo Caruso Fernandes, estudante do curso de Engenharia Elétrica, do campus Barão do Amazonas da Universidade Católica de Petrópolis.

Hoje com 27 anos, Ricardo poderia ter seu sonho de concluir o curso interrompido após sofrer um acidente com moto, em 2015, e ficar paraplégico. Mas o trabalho desenvolvido no NAAP foi determinante para seu retorno à sala de aula e finalmente, em dezembro deste ano, comemorar sua graduação. O acidente gerou uma comoção na universidade, que acolheu o estudante e garantiu seu retorno aos estudos realizando adaptações para que Ricardo e qualquer estudante com alguma deficiência ou dificuldade curse o Ensino Superior.

“O carinho e acolhimento da instituição comigo me motivaram e ajudou muito no meu retorno. A deficiência não é da pessoa, mas é da sociedade para com aquela pessoa. E aqui, não fui eu que me adaptei à universidade. Foi a universidade que se adaptou a mim. E assim deveria ser no mercado de trabalho e na sociedade. Esse seria o cenário ideal. Mas acredito que estamos caminhando para isso e a presença do NAAP na UCP é a prova disso”, afirma o estudante.

Corpo docente e funcionários da UCP empenhados no suporte aos alunos com deficiência

Com uma equipe multiprofissional, o NAAP oferece suporte a estudantes com qualquer deficiência - seja ela visual, auditiva, motora ou cognitiva - e também alunos com déficit de aprendizagem com distúrbios como dislexia, TDA/H e discalculia, para os quais também é exigida atenção individualizada. Mais do que dar o apoio para que o aluno vivencie a experiência acadêmica vencendo as dificuldades impostas por sua suposta limitação, o NAAP busca romper o paradigma da exclusão, inserindo-os no Ensino Superior. Para isso, o setor auxilia cada aluno em sua respectiva necessidade, promovendo a UCP como um espaço de inclusão e aprendizagem, e também dando suporte para o corpo docente e equipe da instituição.

“Com alunos seguimos um plano de acompanhamento individualizado, voltado para a necessidade e especificidade de cada um.  Aos professores oferecemos apoio, com orientações que poderão auxiliar nas práticas pedagógicas, com o objetivo de facilitar o ensino a todos os alunos. A todos os membros da UCP, o atendimento do núcleo pretende auxiliar a derrubar as barreiras que dificultam o acesso desses alunos aos espaços e serviços oferecidos pela instituição, tendo como objetivo o envolvimento a todos os alunos”, explica a Coordenadora do NAAP, Maria da Graça Tavares Monteiro, fisioterapeuta com Mestrado em Educação com dissertação sobre Inclusão.

“Antes do NAAP, toda vez que iniciava um período eu chegava na sala de aula e precisava ir até cada professor para comunicar que sou deficiente visual e que precisava de material adaptado. Com o NAAP foram facilitadas essas questões. Eu acredito que o núcleo vem com essa proposta de auxiliar as pessoas com deficiência com as suas demandas”, conta a estudante Roberta Martins de Araújo Medeiros, que ingressou no curso de Psicologia em 2014.

Para ela, o núcleo tem papel fundamental na interação do aluno com deficiência no universo acadêmico.

“Para mim era muito constrangedor eu ter que ir até o professor e explicar a situação. Agora é diferente. Quando é um professor novo, ele já vem me procurar para saber o que eu preciso. Está mais fácil. É muito difícil para quem tem deficiência visual, como eu, por exemplo, o acesso à plataforma para ele conseguir se virar dentro da universidade. Mas o núcleo me favoreceu em todas essas questões. Foi muito importante para os alunos ter esse setor voltado à pessoa com deficiência”, defende a estudante.

“Nosso trabalho visa abolir as barreiras atitudinais, arquitetônicas, pedagógicas e de comunicação, buscando o ingresso, acesso e permanência do estudante. A UCP, como instituição de ensino cristã que visa a formação integral do ser humano, acredita que ao implantar o Núcleo de Acessibilidade e Apoio Pedagógico contribuirá para a inclusão de todo e qualquer aluno, sem distinção ou restrição, nas necessidades físicas, cognitivas ou sociais apresentadas”, frisa a Coordenadora do NAAP, Maria da Graça Tavares Monteiro.