Serviço geológico do RJ e Defesa Civil de Petrópolis alertam: risco de cratera expandir e desmoronar outras casas é muito alto

FONTE: G1 - PORTAL DE NOTÍCIAS DA GLOBO

Por Aline Rickly - Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro (DRM) e a Defesa Civil de Petrópolis, Região Serrana do Rio, alertam que o risco da cratera de 70 metros de profundidade, que engoliu uma casa na BR-040, expandir e desmoronar outras residências é muito alto.

Segundo nota técnica divulgada pelo DRM, o risco de desmoronamento se estende ao longo do eixo do túnel, que faz parte da construção da pista de nova subida da Serra.

Na noite de terça-feira (14), a Concer, concessionária que administra a rodovia, enviou uma nota afirmando que foi constatado um bloqueio dentro do túnel, na altura da região onde a cratera se abriu. Questionada pelo G1, a empresa não deu detalhes sobre o bloqueio e ainda não se posicionou com relação ao risco apontado pelo Serviço Geológico.

Segundo a Concer, foi utilizado um equipamento de inspeção subaquática para a realização da vistoria, que foi acompanhada pela Defesa Civil e pela Agência Nacional de Transportes Terrestres.
De acordo com a concessionária, a inspeção foi feita pelo desemboque do túnel, situado no bairro Duarte da Silveira.

"O bloqueio foi observado em apenas uma seção específica do túnel, após o equipamento percorrer aproximadamente 700 metros sem verificar qualquer anomalia estrutural na galeria do túnel", disse a Concer.

De acordo com o secretário de Defesa Civil, coronel Paulo Renato Vaz, diante dessas informações e enquanto não forem concluídos os estudos sobre as causas do acidente e a área não for reestruturada, não há previsão para que os moradores da Comunidade do Contorno possam voltar para suas casas, assim como para a liberação do km 81 da descida da Serra.

"A inserção robótica feita na noite de terça reforça que há ligação entre as escavações do túnel e a abertura da cratera. Ou seja, o risco de desmoronamento na região permanece e, por este motivo, continuamos com as equipes no local fazendo o monitoramento", diz Paulo Renato.

Entenda o caso

Cratera de 70 metros de profundidade engoliu uma casa de três andares na rodovia BR-040 (Foto: Rogério de Paula | Inter TV) Cratera de 70 metros de profundidade engoliu uma casa de três andares na rodovia BR-040 (Foto: Rogério de Paula | Inter TV)

Cratera de 70 metros de profundidade engoliu uma casa de três andares na rodovia BR-040 (Foto: Rogério de Paula | Inter TV)


Uma cratera de 70 metros de profundidade engoliu uma casa de três andares na manhã de terça-feira (7) na Comunidade do Contorno. De acordo com a Defesa Civil, a área foi imediatamente evacuada como medida de proteção, mas ainda não há informações sobre o número de casas interditadas. Ninguém ficou ferido.

Os alunos da Escola Municipal Leonardo Boff chegaram a passar próximo ao local momentos antes da cratera se abrir. Segundo a diretora da unidade, Angélica Proença, as aulas começam às 8h e o incidente ocorreu às 10h.

Sobre as causas do acidente, a Concer informou que nesta semana deve concluir um estudo que irá apontar possíveis danos a rodovia e também o motivos que provocaram a abertura da cratera.
Desde quarta-feira (8), está sendo feito um trabalho de sondagem do solo e da rocha no local da cratera.

Trânsito

BR-040, em Petrópolis, RJ, onde cratera se abriu nesta terça (7) (Foto: Infográfico: Alexandre Mauro/G1) BR-040, em Petrópolis, RJ, onde cratera se abriu nesta terça (7) (Foto: Infográfico: Alexandre Mauro/G1)

BR-040, em Petrópolis, RJ, onde cratera se abriu nesta terça (7) (Foto: Infográfico: Alexandre Mauro/G1)

Desde o dia 7 de novembro, o trânsito no km 81 da rodovia, sentido Rio, está interditado. Com isso, os motoristas devem pegar rotas alternativas.

De acordo com a Concer, a partir desta quinta-feira (16), a pista da BR-040, sentido Juiz de Fora, vai operar em mão dupla, entre o km 81 (logo após o Túnel do Quitandinha) e o km 78.

Desalojados

A Secretaria de Assistência Social afirmou na segunda-feira (13), que 266 moradores da Comunidade do Contorno estão desalojados. Segundo o órgão, 95 famílias foram cadastradas: 55 que moravam na área que precisou ser evacuada na terça-feira (7) e 40 famílias, que moravam na área evacuada no sábado (11).

Segundo a Concer, todas as famílias receberam um auxílio emergencial de R$ 1 mil para despesas de aluguel. Alguns moradores foram levados para um hotel da cidade, com diárias pagas pela concessionária, até que encontrem uma casa para alugar.