Petrópolis terá 85 câmeras de monitoramento



Petrópolis está iniciando sistema – que chegará a 85 câmeras – para o monitoramento do Centro, entradas da cidade e distritos.  A prefeitura está abrindo licitação para locação 45 equipamentos e outras 40 serão adquiridas com a emenda parlamentar recuperada pelo prefeito Bernardo Rossi no início do ano. O Centro de Comando e Controle ficará no Centro de Cultura Raul de Leoni e já começou a ser preparado, com reforma na parte elétrica.  Cidades de menor porte que Petrópolis, como Volta Redonda, já usa central ligada a 300 câmeras. A meta é que a cidade tenha um sistema eficiente que proporcione segurança e monitore o trânsito.

A central de monitoramento vai ocupar o espaço de 90 m² que abrigava o setor administrativo do Instituto Municipal de Cultura e Esporte (IMCE) – que agora fica no andar térreo do Centro de Cultura. O Centro de Comando e Controle irá auxiliar o trabalho das forças de segurança (Guarda Civil, polícias Militar e Civil), de controle de trânsito (CPTrans) e de atendimento de emergências (Defesa Civil e Corpo de Bombeiros). O local terá ainda um gabinete para gestão de crises.

“Nós estamos investindo em uma cidade mais segura e com maior capacidade de respostas rápidas a emergências. O trabalho de todos os órgãos envolvidos será integrado, o que dará ao petropolitano um atendimento cada vez melhor e mais adequado”, diz o prefeito Bernardo Rossi.

As 45 câmeras que serão locadas agora terão capacidade de rotação em 360º, reconhecimento facial e gravação de imagens em alta definição. O edital ainda prevê o fornecimento de poste de cinco metros de altura, nobreaks, rádios de comunicação, servidores de gravação de imagens, computadores, monitores, televisores, entre outros itens. A concorrência está marcada para o próximo dia 23 e o vencedor será o que oferecer o menor preço, com teto máximo de R$ 1.125.512,04 – que cairá com ampla concorrência.
Além disso, a cidade terá mais 40 câmeras que serão adquiridas com a emenda parlamentar da deputada federal Cristiane Brasil de R$ 500 mil (mais contrapartida de R$ 114 mil da prefeitura). O projeto inicial, feito pelo governo anterior, previa compra de 20 câmeras. Porém, a Guarda Civil fez uma adequação do projeto e conseguiu dobrar o total de câmeras e com melhor resolução, menor custo de manutenção e que permite integração a qualquer sistema de monitoramento.

“Nós fizemos uma readequação do projeto feito na gestão passada e conseguimos trocar o tipo de câmera por uma que é mais barata e tem uma qualidade melhor. Já entregamos a readequação ao Ministério da Justiça e falta apenas a formalização da resposta positiva”, explica o coordenador de segurança, Maurício Borges.

“O prefeito Bernardo Rossi determinou que nós ampliássemos o sistema de monitoramento e estamos trabalhando para isso. Com a verba que foi recuperada no início do ano, teremos mais câmeras e cobriremos uma área bem maior”, destaca o secretário de Serviços, Segurança e Ordem Pública (SSOP), Djalma Januzzi.

Serão monitorados locais como trevo de Bonsucesso, Praça de Nogueira, Praça de Corrêas, Retiro, Palácio de Cristal, 13 de Maio, Praça da Liberdade, Praça da Águia, Rua do Imperador, Rua Teresa, Paulo Barbosa, Praça da Inconfidência, Alto da Serra, Duas Pontes, Valparaiso, Pórtico do Quitandinha, Pórtico do Bingen, Mosela, Parque Municipal de Itaipava, Pedro do Rio, Posse, Ipiranga, Quissamã, Itamarati, Cascatinha, Montecaseros e Araras.