Petrópolis vai aderir programa “Calçada Acessível”



Com apoio da Firjan e da Associação Brasileira de Cimento Portland, município vai formular um manual para padronização de calçadas

O prefeito Bernardo Rossi assinou nesta quarta-feira (22.11) uma carta de intenção para incluir Petrópolis no programa “Calçada Acessível”. O programa, desenvolvido pela Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) ao lado da Firjan, tem o objetivo de dar orientação técnica para formulação de projetos de padronização e acessibilidade de calçadas no município. Dessa forma, a cidade passará a ter um manual que vai ajudar a nortear obras de construção e melhoria de passeios públicos para pedestres.

O projeto foi apresentado em uma reunião com a presença de vários secretários e da presidente da representação da Firjan na Região Serrana, Waltraud Pereira. Essa cooperação não terá custos para o município e servirá para oferecer para orientação para os técnicos da prefeitura elaborarem uma proposta sobre como devem ser as calçadas no município.

“É isso que falta para o nosso município poder proporcionar melhor qualidade de vida não só para os petropolitanos, mas para todos que virão para cá. Ficamos felizes em saber que vocês querem trazer o programa para cá e nós estamos abertos para iniciar esse trabalho”, disse o prefeito Bernardo Rossi.
A cidade possui o Circuito a Pé, que permite que os visitantes conheçam locais importante para o município durante um passeio pelo Centro Histórico. Uma breve caminhada permite que os turistas tenham contato com o rico patrimônio de praças, ruas, casarios e palacetes da cidade. Para a presidente regional da Firjan, melhorias nas calçadas podem fazer com o Circuito se torne ainda maior.

“Petrópolis vai ter um modelo de calçada e vai incluir toda a sociedade. Será um manual para dizer como tem que ser feito para que todos possam utilizar e ter segurança. Como uma cidade turística, é importantíssimo ter essa padronização”, explicou Waltraud Pereira.

Durante o período de formulação de manual, os técnicos da prefeitura vão poder ter contato com a vivência de uma pessoa que precisa de acessibilidade – que engloba não apenas as pessoas com deficiência, como visual e cadeirantes, mas também idosos, grávidas, obesos, entre outros. A ideia é que nesse momento eles possam entender quais são as necessidades desses públicos em relação às calçadas e, assim, atenda as demandas com maior eficácia.

“Há certas situações que a gente só entende na prática, só entende quando sente na pele. Não adianta ter uma calçada bonita, se ela não for acessível. Esse vai ser o grande fruto desta parceria”, afirmou o arquiteto do escritório regional da ABCP, Luiz Gustavo Guimarães, que apresentou o projeto. De acordo com ele, a participação popular também será importante com entidades da sociedade civil discutindo e oferecendo informações que podem ser valiosas para a formulação de uma política pública em torno do assunto.

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Petrópolis (Sinduscon), Ricardo Francisco, elogiou o projeto, que já existe desde 2010 e já passou por outras 32 cidades do estado.
“Esse projeto é brilhante. O Código de Obras do município que está sendo revisado já prevê parte desse trabalho, que será bastante positivo para o município. O programa tem bons exemplos que deram certo e podem ser usados”, destacou.

Também participaram da reunião o vice-prefeito Baninho, dos secretários Chefe de Gabinete, Renan Campos, de Obras, Ronaldo Medeiros, de Meio Ambiente, Fred Procópio, de Assistência Social, Denise Quintela, de Serviços, Segurança e Ordem Pública, Djalma Januzzi, da TurisPetro, Marcelo Valente, dos presidentes da Comdep, Wagner Silva, da CPTrans, Maurinho Branco, do coordenador Planejamento e Gestão Estratégica, Roberto Rizzo, e da Câmara de Vereadores, Paulo Igor.

Fotos: Marcello Santos