Secretário de Educação afirma que merenda escolar está garantida até o fim do ano letivo



A merenda escolar está garantida nas 184 unidades da rede municipal de ensino até o término do calendário letivo, em 22 de dezembro. Nessa semana (23.10) o depósito de merenda da Secretaria de Educação já recebeu mais 65 mil quilos de alimentos não perecíveis.

Duas carretas descarregaram no depósito cinco mil quilos de açúcar, 12 mil quilos de arroz parabolizado, 10 mil quilos de arroz agulhinha, dois mil quilos de farinha de mandioca, sete mil quilos de feijão preto, três mil quilos de macarrão do tipo espaguete, dois mil quilos de macarrão parafuso, 465 quilos de biscoito maisena, 20 mil unidades de extrato de tomate, além de 3.835 quilos de chocolate em pó.

Há ainda no estoque do depósito da merenda 7. 496 quilos de flocos de milho, 7.233 potes de doce de leite e 5.918 biscoitos rosca de leite, entre outros itens.

“As escolas enviam um mapa com o quantitativo de cada item utilizado na unidade escolar. Quando as diretoras percebem que algum item vai acabar antes do previsto, elas pedem à Gerência de Alimentação Escolar e o produto é reabastecido, no máximo em 24 horas. O importante é garantir que os produtos não perecíveis que compõem o cardápio não faltem nas escolas. Vale salientar que os fornecedores de proteína abastecem as escolas semanalmente para garantir uma merenda balanceada”, explica o secretário de Educação, Anderson Juliano.

Devem ser entregues nessa semana seis mil quilos de feijão vermelho. “O quantitativo enviado para as escolas segue à risca o mapa da merenda que é preenchido pelas unidades escolares. Mensalmente, as unidades escolares recebem cerca de 45 mil quilos de proteína. Além disso, a previsão é que receberemos nos próximos meses cerca de 35 mil quilos de vários tipos de alimento”, disse o gerente da Alimentação Escolar da Secretaria de Educação, Fernando Vianna.

O secretário de Educação explicou ainda que processos de licitação para a compra de itens para o próximo ano já estão em andamento. “São processos que incluem todos os gêneros e estão em tramitação para garantir o abastecimento das escolas no início do ano letivo”.