Projeto que garante espaço para os artesãos começa a ser discutido em Petrópolis, RJ


Gilda Beatriz e Paulo Igor querem criar o “Espaço do Artesão”

Foi apresentado na última terça-feira (03.10), na Câmara Municipal de Petrópolis, RJ, aos representantes de Associações e movimentos de artesãos, o Projeto de Lei, de autoria dos vereadores Gilda Beatriz e Paulo Igor, que garante espaço para os artesãos em todas as festas realizadas pelo Município ou  que contem com aporte financeiro da Prefeitura.

Estiveram presentes Camila Thees e Gisele Perlingeiro Goulart, representando a Turispetro e Marcelo Machado, Subsecretário de Desenvolvimento.

“Ninguém faz política sozinho, o governo abriu espaço para os artesãos e em nossa primeira reunião na Prefeitura, com o apoio do prefeito e do presidente da Câmara, ficou alinhavada a ideia de criar um Projeto de Lei que impulsione a atividade no município oferecendo segurança e para a venda de peças que vão movimentar a economia local. Agora é a nossa vez de ouvir os profissionais para criar uma Lei que atenda suas necessidades. O trabalho dos artesãos atrai turistas pela diversidade dos produtos e com isso vai auxiliar também no desenvolvimento de outras áreas oferecendo emprego e renda para a nossa população”, frisa Gilda Beatriz, lembrando que o executivo é parceiro na elaboração da Lei.

Ficou marcado para o próximo dia 23.10, às 14h, na Câmara Municipal, uma reunião aberta para membros de Associações e artesãos independentes, onde poderão ser apresentadas sugestões para o Projeto de Lei.

Gilda Beatriz e Paulo Igor querem criar o “Espaço do Artesão”.

Outra iniciativa conjunta dos vereadores que pode beneficiar os artesãos do município é a Indicação para que o Prefeito Bernardo Rossi envie ao legislativo um Projeto de Lei que disponha sobre a criação do “Espaço do Artesão“.

“O prefeito Bernardo Rossi é nosso grande aliado e já abraçou a ideia. O objetivo é criar um espaço onde os artesões, fabricantes de biscoitos, fabricantes de cervejas artesanais, fabricantes de chocolates e demais produtos produzidos na cidade poderiam expor seus produtos, num único lugar, o ano inteiro, tornando-se mais um ponto turístico da cidade”, completa a vereadora.