Petrópolis se prepara para a chegada das fortes chuvas


Petrópolis vem se preparando para o período de fortes chuvas, que começa em novembro e vai até abril, com foco na redução do risco de desastres. Nesta sexta-feira (06.10), a Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias e o Ministério Público Estadual (MPE) realizaram um treinamento voltado para as ações de resposta do Plano Verão 2018 de Petrópolis. Ao longo desse ano, também foram realizados 14 testes das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme, sendo nove diurnos e cinco noturnos, além da criação do projeto “Defesa Civil na sua casa”, que atende as comunidades que não contam com as sirenes. Além disso, o município recebeu o Exercício Conjunto de Apoio à Defesa Civil (Ecadec) e a prefeitura garantiu a continuidade do Projeto de Gestão Integrada de Desastres Naturais (Gides), que funciona em parceria com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica).

Neste momento, a Defesa Civil vem trabalhando na elaboração do Plano Verão 2018, que vai contar com cinco planos de contingência organizando a resposta para deslizamentos de terra, inundações, rolamentos de blocos rochosos, vendaval e tempestades de raio. O secretário de Defesa Civil, coronel Paulo Renato Vaz, destaca a importância do trabalho para garantir que o trabalho seja organizado durante estação. “Queremos que Petrópolis passe a ser reconhecida como a cidade da prevenção de desastres. A elaboração do Plano Verão 2018 é fundamental para que o trabalho durante a estação seja organizado e eficiente”, disse o secretário.

Em agosto, mais de 200 pessoas participaram do Exercício Conjunto de Apoio à Defesa Civil (Ecadec). Os cenários utilizados foram de chuvas intensas seguidas por inundações e deslizamentos de terras, incêndios florestais, além de um acidente químico na Refinaria Duque de Caxias (Reduc). As simulações aconteceram no 32° Batalhão de Infantaria Leve - Batalhão Dom Pedro II, no Vila Militar. O exercício contou ainda com a evacuação da comunidade na Rua João Xavier, no Bingen. Participaram representantes da Aeronáutica, Marinha, Exército, Ministério da Integração Nacional e de Defesa, da Secretaria Nacional de Defesa Civil, da Universidade Federal Fluminense (UFF) por meio do Mestrado em Defesa Civil, das Secretarias Estadual e Municipal de Defesa Civil, da Reduc e da Cruz Vermelha. 

“O Ecadec não é apenas o simulado, mas também é a troca de informações e experiências. Todos os órgãos presentes reforçaram que é fundamental que Petrópolis tenha a cultura da prevenção aos desastres. O exercício foi de grande valia para todas as equipes”, afirma Paulo Renato.

 Desde abril, a Defesa Civil implementou o teste noturno das sirenes do Sistema de Alerta e Alarme, além do diurno. A novidade tem o objetivo de integrar as equipes do órgão com a população, além de aperfeiçoar a resposta caso seja necessário o atendimento a noite. O trabalho é fundamental para que o sistema esteja funcionando no período de crise. Para as comunidades que não contam com o sistema, foi lançado em setembro o projeto “Defesa Civil na sua casa”.

“Nosso objetivo é ouvir os moradores e em conjunto construirmos ações que reduzam o risco de desastres. Se não existe a sirene na comunidade, podemos criar um grupo de Whatsapp ou até mesmo um outro aviso sonoro para a população. O projeto discute diversas alternativas que podem salvar vidas. Acredito que essa ação é um grande passo para construirmos uma cidade resiliente”, explica Paulo Renato.

O prefeito Bernardo Rossi também garantiu a continuidade da parceria da Prefeitura de Petrópolis com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) para a conclusão do Projeto de Gestão Integrada de Desastres Naturais (Gides). Em setembro, o secretário de Defesa Civil esteve no Japão e foi um dos nove técnicos brasileiros que participou da elaboração do manual com os planos de ações do Gides.

 “A Onu também está reconhecimento o nosso empenho, tanto é que recebemos o prêmio Sasakawa, o mais importante da categoria de redução de risco de desastres naturais oferecido pela ONU por termos cumprido todas as metas do projeto Gides até o momento.  Estamos empenhados em reunir cada vez mais informações sobre os riscos da cidade. Dentro dos nossos limites, estamos fazendo um grande trabalho pensando na prevenção”, completa o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias.

Comentários