Número de roubos a pedestres dobra em Petrópolis, segundo dados do Instituto de Segurança Pública



O Instituto de Segurança Pública divulgou esta semana as incidências Criminais e Administrativas de Segurança do Estado do Rio de Janeiro referentes ao mês de junho. A atividade policial, que inclui apreensão de drogas e armas, prisões em flagrante e cumprimentos de mandados de prisão e apreensão de adolescentes, subiu consideravelmente. Os números referentes à produção do Batalhão de Petrópolis apresentava queda desde o mês de abril.

Em maio, as Polícias Civil e Militar realizaram 105 prisões em flagrante, mas no mês seguinte as ações deram um salto e 151 pessoas envolvidas com algum tipo de crime foram retiradas das ruas. No mesmo período, foram cumpridos 81 mandados de prisão, contra 57 realizados no mês anterior. Foram contabilizadas ainda 40 apreensões de drogas e seis de armas.

Segundo o estudo, em Petrópolis, no comparativo com o mês anterior, os números dos crimes oscilam, enquanto alguns apresentaram aumentos significativos, outros estão em queda.

Roubos a transeuntes, por exemplo, deram um salto e passaram de 10 registros em maio para 20 ocorrências em junho, o que representa um crescimento de 100%. Somando com os roubos de telefone celular, que tem a mesma dinâmica dos assaltos a pedestres, esses números passam, respectivamente, para 16 e 31 casos comunicados nas 105ª DP (Retiro) e 106ª DP (Itaipava).

Em junho também foram registrados seis assaltos a estabelecimentos comerciais, contra oito comunicados no mês anterior e um assalto a residência. Um roubo de carga, três roubos de veículos e dois em coletivos integram a estatística do último mês.

Por outro lado, casos de furto apresentaram quedas significativas. Enquanto em maio foram contabilizados 238 furtos, incluindo 16 veículos, no mês seguinte a polícia registrou apenas 202 ocorrências. No entanto o número de carros furtados passou para 25. Mas, em contrapartida, a Polícia Militar conseguiu recuperar 13 deles.

O número de homicídios e tentativas de homicídio se mantiveram na média, com 2 e 4 casos, respectivamente, em ambos os meses. Os registros de estupro passaram de 15 para 14 ocorrências comunicadas, enquanto crimes de estelionato, como por exemplo, os golpes do falso sequestro caíram de 50 casos em maio para 37 em junho.

Dados estaduais

De acordo com informações do ISP (Instituto de Segurança Pública), os dados da violência no Rio de Janeiro revelam aumento em quase todas as ocorrências registradas no mês de junho. Em comparação com o mesmo período em 2016, o número total de registros criminais cresceu 4,7%. Todos os tipos de roubos no estado apresentaram índice negativo para a segurança pública, sendo que o roubo de aparelhos celulares passou de 1.617 em junho do ano passado para 2.338 no mesmo período deste ano, ou seja, um aumento de 44,7%.

Outro dado que chama atenção é a redução de drogas apreendidas pela polícia. No último mês foram registradas 1.864 ocorrências deste tipo, contra 1.972 em junho de 2016.

Houve queda também no número de armas apreendidas. Segundo as informações, foram realizadas 739 apreensões no último mês, 3% a menos em comparação com o mesmo período do ano passado.

Comentários