Petrópolis registra 696 furtos em apenas 5 meses



Diário de Petrópolis: As estatísticas divulgadas pelo Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro (ISP), referentes ao mês de maio, mostram que houve um grande aumento no número de furtos na cidade. Foram 238 ocorrências no quinto mês do ano, uma média de sete furtos por dia no mês. Houve um aumento de 27% na comparação com abril, quando 187 casos foram registrados. Os números de maio chamam a atenção por serem 72% acima da média de 2017, que é de 139 casos por mês.

Em janeiro, foram registrados 109 furtos. Em fevereiro, houve uma queda para 42 ocorrências. Depois, os indicadores não pararam de subir: 120 em março, 187 em abril, e 238 em maio, totalizando 696 casos nos primeiros cinco meses do ano.

De acordo com os dados do ISP ao longo dos cinco primeiros meses do ano, furtos diversos correspondem a 88,79% dos casos, e furtos de veículos são responsáveis por 11,06%. Houve ainda um furto de bicicleta registrado nas delegacias da cidade no ano.

O comandante do 26º Batalhão de Polícia Militar, Oderlei Santos, destacou, ao Diário, que o policiamento na cidade está sendo reforçado.

- O Batalhão vem aumentando o efetivo do policiamento a partir de uma gestão do pessoal anteriormente afastado por doença e aplicado na atividade interna; e também da gestão das viaturas anteriormente indisponíveis, com problemas mecânicos), contando com o importante apoio do Conselho Comunitário de Segurança de Petrópolis na recuperação das viaturas policiais – destacou.

Oderlei destacou outros avanços no patrulhamento.

- Com isso foi possível reimplantar o policiamento nas entradas da cidade, o policiamento do trailer no Centro, mais uma guarnição motorizada no policiamento do Centro, o policiamento a pé na antiga rodoviária, complementar o policiamento de bicicleta, o policiamento motorizado em Corrêas e Nogueira, dupla de motos em Itaipava, dupla de motos em Cascatinha, isso nos meses de maio e junho – afirmou.

Índice de apreensões de drogas perde fôlego

O número de registros de apreensões de drogas realizadas na cidade teve a maior queda no mês de maio. No comparativo com o mês de janeiro, a redução foi de 25,86%. De acordo com o estudo, enquanto no primeiro mês do ano foram realizadas 58 apreensões de maconha, cocaína, entre outros tipos de entorpecente, maio encerrou com apenas 43 apreensões. No entanto, se comparado com fevereiro, a redução é ainda mais preocupante: são menos 37,68%.

Segundo o documento, em janeiro foram contabilizadas 58 apreensões e no mês seguinte foram 69 casos. Março se manteve na média, com 62 casos, mas em abril foram apenas 52 e, em maio, chegou a 43 ocorrências.

Consequentemente, o número de prisões em flagrante também foi afetado. Depois de chegar a 127 em fevereiro, em maio os números retornaram ao mesmo patamar do primeiro mês do ano, quando foram contabilizadas 105 prisões. Nos meses de março e abril foram, respectivamente, 86 e 97 pessoas presas em flagrante por diferentes tipos de crimes.

Por outro lado, no mês de maio, o número de armas apreendidas atingiu a sua maior marca do ano. Foram 13 revólveres e pistolas retiradas das ruas. Uma das maiores ações aconteceu no dia 29 de maio, numa operação realizada por agentes do Serviço Reservado da PM e o policial Renato Rabelo, do 7º DPA. Três revólveres, uma pistola, munições de diversos calibres e dois rádios transmissores foram apreendidos na incursão realizada na Rua Alagoas, no Quitandinha. Dois adolescentes, de 15 e 16 anos foram apreendidos.

Em janeiro, segundo o ISP, foram três armas apreendidas, enquanto em fevereiro cinco armas foram retiradas das mãos de bandidos. Em março as Polícias Civil e Militar retiraram oito armas das ruas e no mês seguinte foram mais sete. Ao todo, os primeiros cinco meses de 2017 contabilizam 36 armas apreendidas.

Oderlei Santos, no entanto, destacou que houve um aumento no número de ações, na comparação com o mesmo período de 2016.

- Com relação a apreensões de drogas, no acumulado de janeiro a maio de 2017, houve aumento de 290% em relação ao mesmo período de 2016, tendo sido apreendido no período citado de 2017 cerca de 70 kg de drogas (maconha e cocaína) e 18 kg no mesmo período de 2016. Sobre as prisões, no acumulado dos cinco primeiros meses de 2017 houve aumento de 40% em relação ao mesmo período de 2016; sendo presos 373 criminosos no período citado de 2017, e presos 265 no mesmo período de 2016 – afirmou.

Outros índices permanecem estáveis

Outros índices, no entanto, tiveram números estáveis na comparação de um mês para o outro. É o caso dos roubos. Após uma forte subida em abril (com 43 ocorrências, contra 22 em março), houve uma ligeira redução, com 41 casos registrados em maio. O mesmo processo aconteceu com casos de ameaça: foram 132 em maio, contra 136 no mês de abril.

Houve uma pequena oscilação nos casos de tentativa de homicídio: foram quatro em maio, contra três em abril. As apreensões a menores também seguiram a mesma média dos outros meses, com oito jovens detidos.

Da mesma forma, o número de lesões corporais dolosas diminuiu: foram 128 em abril e 108 em maio. No entanto, o número ainda é maior do que nos primeiros meses do ano: em janeiro, foram 98; em fevereiro, 52; e em março, 89.

Os dados da Secretaria de Segurança apontam, no entanto, que houve uma redução no número de roubos de rua (quando se soma os roubos a transeunte, de celular e em coletivo): foram 18, contra 28 em abril (maior índice do ano).


Comentários