Governo Rossi busca agendamento ambulatorial sem fila de espera no Hospital Municipal Nelson de Sá Earp



O Hospital Municipal Nelson de Sá Earp (HMNSE) se tornou referência no serviço de Ortopedia pelo SUS. Neste semestre, 53.520 pessoas foram assistidas na unidade entre atendimentos de urgência/emergência e ambulatorial. As consultas para adultos e crianças foram otimizadas com a reestruturação do serviço que passa a contar com uma equipe em quatro turnos para acompanhamento ambulatorial. Já na urgência/emergência há quatro plantonistas 24h. Ambos os serviços representam 85% dos atendimentos de todo o hospital.

A Secretaria de Saúde estabeleceu novos fluxos e protocolos de internação e regulação de pacientes cirúrgicos em unidades particulares.A partir do novo processo, o paciente que aguardava 72h para ter o risco cirúrgico em mãos, atualmente espera 12h.

“É assim que a gestão da saúde precisa ser: temos a estrutura necessária, UPAs, hospitais e postos. O que faltava é o que estamos implementando, uma boa administração feita por quem é da área e entende e que possibilita avançar no atendimento”, classifica o prefeito Bernardo Rossi.

O secretário de Saúde, Silmar Fortes, avalia que a conduta proporciona mais resolutividade para as centrais reguladoras realizarem os encaminhamentos das internações cirúrgicas.

“Por muitas vezes o hospital de referência disponibilizava a vaga de internação, mas o paciente não estava com o risco cirúrgico pronto para o encaminhamento para cirurgia. Esperava-se 72h para ter os exames em mãos e por muitas vezes perdia-se a vaga, uma vez que a unidade precisava ocupar o leito com outro paciente. Agora que se constatar a necessidade de cirurgia, o médico solicita a internação, já faz o risco cirúrgico. Na primeira oportunidade de vaga de transferência, o paciente é encaminhado”, explica Silmar Fortes.

Agendamento ambulatorial sem fila de espera

O Hospital Municipal Nelson de Sá Earp atende em média 180 pacientes de urgência e realiza 160 acompanhamentos ambulatoriais por dia, o que representa 8.920 atendimentos por mês. Só de exames de raio x foram realizado mais de 14 mil neste semestre, um número que se equipara aos atendimentos radiológicos do Hospital Souza Aguiar no Rio de Janeiro, maior hospital de urgência e emergência da América Latina.

“Nós comparamos as estatísticas e ficamos impressionados com a nossa produção de exames, o que reflete ao nosso volume de atendimento. Vale ressaltar que o Hospital Souza Aguiar atende a diversas especialidades e nós apenas ortopédicos. Destacamos também a parceria do HMNSE com oHospital Alcides Carneiro na realização das tomografias, que nos disponibilizam os laudos online no mesmo dia. Isso mostra a integração da rede de atendimento hospitalar”, avalia o Ortopedista Rodrigo de Freitas.

Agendamentos ambulatoriais passam a ser realizados diretamente na unidade. O paciente precisa dar entrada na Urgência, onde recebe o atendimento, realiza exames, medicação e o encaminhamento para o ambulatório que pode ser realizado de segunda-feira a sexta-feira de 8h às 16h30. Antes, o paciente com alguma entorse ou dor em algum membro precisava agendar uma consulta com clínico e solicitar o encaminhamento ao ortopedista.

“Esse fluxo foi mudado, pois o paciente que sofre com uma dor nas costas ou torceu o pé jogando bola, mas só foi sentir a dor dias depois, precisava ir a um clínico geral para pedir o acompanhamento da especialidade, neste processo perdia-se muito tempo com a espera de dois agendamentos. O agendamento ambulatorial para pessoas que estão com fratura também é priorizado e sem filas, com agendamento de 3 a 7 dias após o atendimento na urgência”, aponta o ortopedista Sergio Ricardo Neto.

Comentários