Comissão do Cumpra-se realiza fiscalização surpresa durante o recesso e empresa de ônibus é multada



Os Vereadores Gilda Beatriz e Luizinho Sorriso, membros da Comissão do Cumpra-se, iniciaram na última quinta-feira (27), em conjunto com a Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans), uma agenda de fiscalizações no transporte público em Petrópolis, RJ. As primeiras linhas fiscalizadas foram a 600 (Centro X Terminal Corrêas), 700 (Centro X Terminal Itaipava) e as linhas executivas da empresa Turb.

Foram avaliados a pontualidade, limpeza, acessibilidade e as condições básicas dos veículos.

“Está foi apenas a nossa primeira ação e escolher o recesso para fiscalizar foi algo que ninguém esperava. Mas é preciso garantir que o transporte público que é um serviço caro seja também de qualidade. É o mínimo! Durante a vistoria um ônibus foi multado por circular sem a chave que permite a utilização do elevador do ônibus que permite o acesso da pessoa com deficiência. Outro foi notificado por falta de lubrificação no elevador o que dificulta a utilização do mesmo. Conversamos com as pessoas e levaremos as relações e sugestões para o Maurinho Branco, presidente da CPTrans, que apoiou a ação”, afirma Gilda Beatriz, presidente da Comissão do Cumpra-se.

Em fevereiro, as empresas de transporte público do município receberam 177 multas aplicadas pela CPTrans, responsável pela fiscalização.

“Estamos cumprindo o nosso papel de fiscalizar e através da conversa com passageiros e pelo que encontramos aqui, tivemos certeza do não cumprimento dos serviços com a qualidade que a população merece. Ônibus sujos, elevador com dificuldades, ou pior, sem condições de ser utilizado, uma falta de respeito com os cadeirantes! Vamos manter a rotina de fiscalizações para tentar garantir melhorias nos serviços prestados”, frisa Luizinho Sorriso.

Vereadora lembra que a concessão da empresa Turb é recente.

“Essa empresa é nova no município e os veículos já são alvo de reclamações diárias. Vale lembrar que é prevista multa pelo não cumprimento do contrato e a reincidência pode acarretar em suspensão da permissão à empresa infratora”, completa Gilda.

O cronograma de fiscalizações da Comissão não será divulgado.