Prefeito quer ocupar espaço onde funcionava a antiga Fábrica Dona Isabel, em Petrópolis



A viabilidade do projeto que prevê a ocupação do espaço onde funcionava a antiga Fábrica Dona Isabel, que tem em suas linhas gerais a construção do novo Centro Administrativo da prefeitura e um Centro de Convenções, foi tema da reunião entre o prefeito Bernardo Rossi, o proprietário do terreno Ricardo Haddad e a subsecretária estadual da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, Dulce Ângela Procópio, na manhã desta quarta-feira (28.06), na sede da prefeitura.

O projeto conceito, que serviu como base para o debate, foi apresentado pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini e esboça a construção do novo Centro Administrativo da prefeitura, um Centro de Convenções com arena multiuso, hotel business e estacionamento. Algumas ideias surgiram no encontro, como a instalação de um espaço destinado a microcervejarias, área de lazer e um mercado produtor para agricultores locais. O prefeito Bernardo Rossi, acompanhado pelo vice-prefeito Baninho, deliberou que seja feito uma avaliação, para que um projeto definitivo seja elaborado.

“As ideias para a ocupação do espaço e estruturação do projeto surgirão conforme as conversas forem se aprofundando. O modelo para viabilizarmos uma parceria público–privada (PPP), com a soma de todos os atores envolvidos, como os poderes executivo, legislativo, governos estadual e federal, é primordial para que esse desejo se concretize. Vamos, com amplo debate e transparência, avançar nessa questão”, atesta Bernardo Rossi.

Outro ponto discutido foi à interação do projeto com as áreas no entorno do terreno, como as lojas da Rua Teresa e o shopping localizado no Alto da Serra. Somente a instalação do Centro Administrativo da prefeitura contaria com o movimento de mais de quatro mil funcionários, consumindo nos restaurantes, lojas e todo comércio. A redução dos custos da prefeitura com aluguel de imóveis também foi mencionada, podendo chegar a quase 70%.

“Esse seria um ganho econômico extremamente interessante para a cidade, reduzir os custos da máquina pública e movimentar a economia de forma sustentável. Vamos ampliar o debate, constituir um projeto que seja viável e agir para realizar esse projeto”, afirma Marcelo Fiorini.

O proprietário do imóvel, Ricardo Haddad, avalia que esse primeiro contato teve um saldo positivo e disse ainda que “sem o apoio do poder público, sociedade e demais entes que tem interesse que o projeto sai do papel, fica muito árdua a tarefa. Todos devem se envolver e contribuir com ideias”.

“O governo estadual está focado para que haja a fomentação da ocupação de grandes espaços que estão desativados. Todo esse empenho objetiva agregar a esses locais o desenvolvimento econômico e geração de emprego necessária para a cidade. A reunião foi satisfatória e traduz a vontade de todas as partes em concretizar esse projeto, que é muito importante para Petrópolis”, completa Dulce Ângela Procópio.