segunda-feira, 5 de junho de 2017

​Guarda Civil segue coibindo atuação de flanelinhas na cidade

Ação de repressão durante o fim de semana no Centro, Quitandinha, Alto da Serra, Valparaíso e Itaipava



O trabalho de repressão à atuação de flanelinhas em diferentes pontos da cidade segue sendo realizado pela Guarda Civil. Apenas em maio, quatro pessoas foram presas por homens da corporação. Durante o fim de semana, a Guarda atuou em cinco bairros: Centro, Quitandinha, Alto da Serra, Valparaíso e Itaipava e pretende intensificar a ação. O policiamento ostensivo e o combate a crimes, como extorsão, são de responsabilidade da Polícia Militar. Mesmo assim, a Guarda Civil atua para coibir as ações, zelando pelo bem-estar de moradores e turistas.

“A presença do Guarda já inibe quem pensa em cometer essa irregularidade. Por isso, vamos ampliar as rondas e a presença da corporação nas vias públicas. Desde o princípio do governo nosso trabalho vem sendo restabelecer o ordenamento da cidade, o que inclui a repressão a atuação de flanelinhas nas vias públicas”, disse o secretário de Serviços, Segurança e Ordem Pública, Djalma Januzzi.

O secretário alerta que quem for flagrado ameaçando motoristas ou cobrando por estacionamento será levado para a delegacia por exercício irregular da profissão de guardador de carro. O responsável pode responder ainda por crime de extorsão. Vale lembrar que o estacionamento na cidade é regulamentado pelo sistema de rotativo.

“É importante que Descrição: https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gifas pessoas também ajudem. Quem é vítima de flanelinhas deve se dirigir a delegacia e fazer o registro de ocorrências para que esse crime possa ser combatido. Muitas vezes, as pessoas acabam não indo até à Delegacia por medo das ameaças feitas pelos flanelinhas. Isso prejudica o trabalho para coibir essa irregularidade”, alerta o comandante da Guarda Civil, Jeferson Calomeni.

Nenhum comentário: