Duas tentativas de rapto de crianças nos bairros Morin e Mosela em Petrópolis



Diário de Petrópolis: Duas tentativas de rapto de crianças ocorreram dentro dos últimos dez dias no Morin, deixando os moradores apreensivos. Um homem jovem tem circulado pela comunidade em um carro com vidros escuros, e já tentou raptar duas crianças. Uma delas, um menino de sete anos, estava com a babá, esperando ônibus para ir à escola.  

Segundo Priscila Ferreira, mãe do menino, o homem parou o carro no ponto de ônibus, abriu a metade da janela e mandou a criança entrar no veículo para “dar uma volta com o tio”. Tudo aconteceu por volta das 12h15. “Eles levaram um susto, mas, mesmo com medo, meu filho se agarrou a perna da babá, levantou o dedinho e sinalizou que não.

“Mas o homem não gostou e insistiu de forma ainda mais ríspida”, conta. Nervosa, a babá não conseguiu anotar a placa.

Uma vizinha escutou a movimentação na rua e abriu o portão de casa para saber o que estava acontecendo. Ainda teve tempo de ver o carro parado no local, mas o motorista se assustou, fechou o vidro rapidamente e partiu em alta velocidade. “Inicialmente, a moradora não entendeu a cena e só depois da fuga é que a babá conseguiu relatar o episódio. O pior é que, exatamente naquele dia, eu não estava em Petrópolis, mas imediatamente fui avisada”, conta Priscila.

Mesmo de longe, Priscila acionou a Polícia Militar e uma equipe de policiais esteve no local. Realizou buscas por toda a comunidade, mas o suspeito ou o carro não foram localizados. Mas segundo ela, o filho não foi a única vítima.

O homem, com a mesma abordagem, se aproximou de uma menina, aluna de uma escola da comunidade, mas também não conseguiu levá-la. “Isso tudo aconteceu em plena luz do dia e estamos muito preocupados. Tenho tentando contar o ocorrido para o maior número de pessoas, inclusive pelas redes sociais, para que todos fiquem alertas e atentos para proteger nossos filhos. A gente nunca pensa que uma coisa dessas pode acontecer com a gente, principalmente em Petrópolis, mas aconteceu”, complementa.   

Apesar do susto, Priscila não viu necessidade de mudar a rotina da família. “Aquele foi um dia atípico, pois normalmente nós o levamos de carro para a escola. Mas como tivemos que descer a Serra, a babá ficou encarregada de ir de ônibus com ele”, finaliza.   

Existe ainda o relato de terceira tentativa de rapto pelo mesmo indivíduo. Priscila Ferreira, a mãe do menino abordado no Morin, também contou o caso no Facebook e outra mãe relatou o seguinte nos comentários:

- Eu acredito. Minha filha estuda aqui no Mosela e um carro parou ela e uma coleguinha e chamou pedindo carona. Aí a amiga disse “não te conheço”. Aí a pessoa disse que me conhece para minha filha e quando viu que não teria sucesso arrancou com o carro!