Aumentam os índices de criminalidade em Petrópolis


Eric Andriolo via Diário de Petrópolis: Dados recém liberados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) mostram que a sensação de que a violência está se tornando maior em Petrópolis não é apenas impressão. Alguns crimes depois de terem ficado em baixa por anos, estão de volta ao patamar até dez anos atrás. Os principais são os roubos (conhecidos popularmente como assaltos), que foram 43 em abril, e já estão alcançando o nível de março de 2009, quando houve 44 assaltos registrados.

O Diário analisou os dados de registros de crimes nas delegacias 105ª DP (Petrópolis) e 106ª DP (Itaipava) entre abril deste ano e janeiro de 2003, divulgados pelo portal Dados Abertos do ISP, e descobriu que os roubos vêm ficando mais freqüentes pelo menos desde 2013 na cidade.

Além disso, os roubos de rua estão em alta. Foram 28 em abril. Esse número já é o maior desde 2010, quando houve 21 ocorrências desse tipo na cidade. Além disso, a quantidade de assaltos na rua está quase alcançando junho de 2007, quando houve 30 assaltos de rua.

O roubo de rua é uma estatística do ISP que soma roubos da transeuntes, roubos de aparelhos celulares e roubos a transportes coletivos.

As delegacias também estão registrando bem mais crimes do que antes. Em abril deste ano, foram 804 registros nas duas delegacias. Em março do ano passado, foram registrados 850, o maior resultado da série histórica. Aquele mês foi, inclusive, pior que março de 2015, quando houve um pico de 820 ocorrências registradas.

Mais prisões



Toda essa atividade criminal não significa que a Polícia não está cumprindo suas obrigações. Pelo contrário, há cada vez mais pessoas presas em Petrópolis, com os registros de recolhimento de presos chegando a níveis nunca antes vistos. Só em fevereiro deste ano, foram 98 encarcerados. É o maior resultado de toda a série de dados, começada em 2003.

O número de adolescentes infratores apreendidos, por outro lado, voltou a cair depois do ano passado. Foram 138 menores enviados ao sistema socioeducativo em 2016. O mês com mais adolescentes apreendidos foi abril, quando a Polícia tirou 22 garotos das ruas. Até abril deste ano, foram 35.

Polícia apreende mais drogas


Apesar dos argumentos de algumas autoridades de que aumentar a guerra às drogas reduz automaticamente outros crimes, como furtos e roubos, o grande esforço da Polícia em apreender cada vez mais entorpecentes não parece ter surtido efeito no número de roubos. As estatísticas mostram que nunca se realizou tantas apreensões de drogas em Petrópolis.

Foram 613 só em 2016. Até abril deste ano houve mais 244 confiscos de substâncias entorpecentes. São os números mais altos desde o início do banco de dados, em 2003. E assim como a alta de ocorrências e roubos, esse movimento começa a se intensificar por volta de 2013.

No entanto, as estatísticas não contabilizam o peso e o tipo das drogas encontradas. Tanto grandes apreensões de vários quilos de uma substância quanto a detenção de um usuário que carrega algumas cápsulas contam como uma apreensão cada.

Homicídios ainda sob controle 

Por outro lado, as mortes violentas estão longe do que eram em maio de 2008, quando houve 9 mortes violentas em Petrópolis. Foi o ano mais violento desde que os dados começaram a ser coletados em 2003. Naquele mês, houve 8 homicídios, sendo um causado por um policial. Em março deste ano, o índice de letalidade ficou em 5 mortes, o mês mais violento do ano.