sexta-feira, 26 de maio de 2017

Petrópolis: Estudante é ameaçada por ex-namorado armado na porta de escola



Uma aluna da Escola Jamil Sabrá, localizada na Rua Coronel Veiga, passou momentos de apreensão, na noite de quarta-feira. Ela foi surpreendida na hora da entrada, na porta da instituição, pelo ex-namorado, armado com um simulacro de pistola. A Polícia Militar foi acionada pela direção da unidade.

O ex-namorado da estudante, preso pouco tempo depois num bar da Rua Joaquim Gomensoro, no Valparaíso, vai responder pelos crimes de porte ilegal de arma e ameaça. Ele foi levado para a 105ª DP (Retiro), onde a ocorrência ficou registrada.

Segundo a polícia, a aluna contou que a atitude do ex-namorado foi motivada por ciúmes, pois, ao abordá-la, na porta da escola, ele exibiu a arma dizendo que mataria outro aluno, o qual a jovem estaria tendo um relacionamento amoroso. Assustada, a estudante pediu ajuda na direção da instituição e o rapaz desapareceu do local.

Com a chegada da Polícia Militar, as características do suspeito foram passadas aos policiais. As diligências pelas imediações foram iniciadas e o rapaz localizado por volta das 20h, na porta de um bar. Abordado, a arma foi encontrada durante a revista pessoal, no bolso do casaco do rapaz.

Este não é o primeiro problema na porta de escolas do município, registrado na 105ª DP. Na noite anterior, um adolescente de 16 anos, matriculado a Escola Johann Noel, no Bingen, foi violentamente agredido por outros alunos da unidade de ensino. Ele precisou ser socorrido pelo Samu e levado para a UPA – Unidade de Pronto Atendimento de Cascatinha e, inicialmente, havia a suspeita dele ter quebrado uma costela, mas não houve fratura. Não precisou se afastar das aulas.

O episódio vivido pela estudante, na noite de quarta-feira, traz a tona outro problema vivido por muitas petropolitanas: a violência contra a mulher. Estatísticas referentes a casos de violência doméstica registrados nas delegacias da cidade, ainda estão sendo fechadas pela polícia, no entanto, apenas no primeiro trimestre deste ano, 47 ocorrências de lesão corporal, referentes à violência doméstica contra a mulher, foram comunicadas. Em três deles, os autores foram presos em flagrante, enquanto os outros, de acordo com a gravidade das agressões, tiveram mandados de prisão expedidos ou respondem pelo crime em liberdade.

Segundo Luciana Périco, presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, a cada 1h40 uma mulher morre no país por violência doméstica praticada por maridos, pais, irmãos e namorados. “São situações como essa que, apesar da atual falta de apoio, nos encorajam e dão cada vez mais força para continuar lutando. Infelizmente, ainda vivemos num mundo onde muitos homens se acham superiores e acreditam que a mulher é propriedade dele. Estamos lutando para mudar essa realidade, pois o homem covarde sempre vai existir, por isso é preciso que as mulheres reajam”, disse.

Procurada, a Secretaria de Educação disse que o caso ocorreu em uma rua próxima à escola. “A aluna, menor de idade, pediu ajuda na escola e a diretoria da unidade educacional chamou a Polícia Militar”, diz a nota encaminhada ao Diário. “Vale destacar que o autor da ameaça não é aluno da rede municipal de ensino”, complementa. A Secretaria de Educação também diz que contato com a Guarda Civil que vai dar o suporte nos horários de entrada e saída dos turnos da escola. A Ronda Escolar realizou 13 visitas na Escola Municipal Jamil Sabrá desde sua reativação em fevereiro deste ano, com o registro de três ocorrências.

fonte: Diário de Petrópolis

Nenhum comentário: