Moreira e Hugo debatem com PRF ações contra roubos de cargas



O Deputado Federal Hugo Leal (PSB/RJ) participou, com o Senador José Medeiros, o Diretor-Geral da Polícia Rodoviária Federal Renato Dias e o Coordenador-Geral de Administração e Diretor-Geral Substituto da PRF Marcelo Moreno; de reunião com o Ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República Moreira Franco, para discutir assuntos relacionados as ações da PRF no Estado do Rio de Janeiro no combate do roubo de cargas. Em 2016, o número de assaltos a cargas no Rio chegou a quase 10 mil, um aumento de mais de 50% em relação a 2015. De acordo com a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), o roubo de cargas causou um prejuízo de mais de R$ 6,1 bilhões em todo o Brasil, de 2011 a 2016.

Como uma das medidas, Hugo Leal sugeriu a realização de um concurso público especifico para os estados do Rio de Janeiro e São Paulo, com 1.000 vagas, ainda no ano de 2017. “Esse aumento de efetivo trará resultados que beneficiarão não somente os dois estados, mas todo o país, já que as rodovias federais que cortam Rio e São Paulo são essenciais para o escoamento da produção nacional”, argumentou o parlamentar, que também pediu a continuidade da Operação Rota Segura e da Operação Asfixia, experiências de êxito no combate da criminalidade do Estado. Já o Diretor-Geral da PRF solicitou apoio do ministro para aprovação de um concurso com 1.300 vagas destinadas a todo o país. O pedido já foi feito ao Ministério do Planejamento.

A necessidade da aprovação no Senado da emenda de autoria do deputado Hugo Leal à Medida Provisória 752/16, também foi discutida. A finalidade da emenda, aprovada nesta quarta-feira (02) no plenário da Câmara, é fazer com que os investimentos das rodovias oriundos das concessões abarquem também a questão da segurança pública. “Com investimentos constantes, a PRF poderá atuar com mais qualidade, especialmente com a utilização de novas tecnologias que possibilitarão o combate ao roubo de cargas, contrabando, tráfico de drogas e de pessoas, redução de acidentes de trânsito, além de redução de custos operacionais das Concessionárias com o atendimento das vítimas, combate à fuga de pedágio e outras ações de segurança pública”, afirmou Hugo Leal. 

De Brasília

Comentários