segunda-feira, 22 de maio de 2017

Minha Casa Minha Vida do Vicenzo Rivetti: Governo fala sobre construção dos apartamentos e da seleção dos beneficiários



A prefeitura apresentou  nesta sexta-feira (19.05), durante audiência pública realizada na Câmara de Vereadores,  o andamento da construção dos apartamentos do Minha Casa Minha Vida no Vicenzo Rivetti e explicou como será a seleção das famílias beneficiadas com as unidades habitacionais. As informações das secretarias de Obras e Habitação e de Assistência Social foram acompanhadas por mais de 100 pessoas que compareceram ao Palácio Amarelo. 

O diretor do setor de Habitação, Antônio Retondaro, lembrou que a construção de 776 unidades habitacionais no Vicenzo Rivetti foi retomada após mais de dois anos paralisada na gestão passada, depois de abandonada pela empreiteira licitada. A retomada aconteceu  em janeiro deste ano e em pouco mais de três meses  passou de 5% para mais de 42% de conclusão -  uma das que mais avançaram no MCMV em todo país em 2017, em balanço feito CEF e Ministério das Cidades. 

"Um dos blocos já está com 50% de conclusão e acompanhamos também a qualidade da construção ao mesmo tempo que queremos celeridade no conjunto que é esperado desde 2013", disse Retondaro. 
Durante a audiência, o vereador Leandro Azevedo, que organizou o encontro, ressaltou a necessidade de se pensar no impacto que a chegada de milhares de novos moradores terá na região. Essa preocupação já está sendo cuidada de perto pela prefeitura, que já abriu licitação para realizar obras de drenagem pluvial e pavimentação do entorno do empreendimento - a concorrência está marcada para o próximo mês.


Paralelo a isso, a Secretária de Assistência Social já trabalha em cima de projetos para capacitação dos moradores visando geração de renda e ainda para a gestão do condomínio. Há um grupo de trabalho onde as duas pastas interagem com a Caixa, que orienta o município a respeito das contrapartidas sociais e de infraestrutura. 

Esse grupo de trabalho também já estuda a listagem das famílias que serão indicadas para receber umas das unidades. O Ministério Público e a Defensoria Pública acompanham este trabalho. De acordo com Jocely Cammarota, que trabalha na Habitação,  os beneficiários serão selecionados dentro do banco de famílias já cadastradas pelo município, famílias desabrigadas pelas chuvas e a CEF fará a seleção final. 

" Os empreendimentos faixa 1 são voltados para quem ganha até R$ 1,8 mil por mês. Acima disso o perfil  passa para faixa 1,5 ou 2. Mas, existem outros critérios, como prioridade para mulheres chefes de família, para famílias com muitas pessoas, e existe uma determinação também que 3% seja destinados para idosos e pessoas com deficiência", explicou Jocely. 

"O conjunto do Vicenzo Rivetti é um empreendimento  do faixa 1. O grupo de trabalho vem se reunindo justamente para estabelecer essa política na listagem das famílias. Feito isso, a seleção passa para as mãos das Caixa, que define", afirmou o representante da Assistência Social, Rodrigo Lopes. 

A audiência também serviu para tratar de outros temas de habitação. O vereador Roni Medeiros destacou o anúncio de que a cidade receberá 523 Cartões Reforma, que servirá para pequenas melhorias nas casas de famílias de renda mais baixa e lembrou que o programa vai injetar R$ 3 milhões na economia do município. 

Participaram da audiência pública ainda o vereador Marcelo Silveira, o Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH), a Defensoria Pública e representantes de movimentos sociais, como o MTST.​

Nenhum comentário: