terça-feira, 16 de maio de 2017

Petrópolis: Ex-vereador Osvaldo do Vale, o Vadinho, consegue habeas corpus



Philippe Fernandes / Fonte: Diário de Petrópolis - O ex-vereador Osvaldo do Vale, o Vadinho, preso em março em uma operação que investiga os crimes de peculato, concussão, associação criminosa e lavagem de dinheiro, conseguiu habeas corpus ontem, por decisão da Primeira Câmara Criminal do Rio de Janeiro. A decisão permite que Vadinho fique em liberdade enquanto o caso é investigado.

A prisão temporária de Vadinho aconteceu no dia 6 de março, e desencadeou a Operação Casa Limpa, na Câmara Municipal de Petrópolis. A investigação começou quando uma ex-assessora de Vadinho denunciou ao Ministério Público Estadual, em setembro do ano passado, que o ex-vereador exigia o retorno de parte dos salários dos servidores contratados para o gabinete – que giravam em torno de R$ 1,8 mil e R$ 4,6 mil. Além disso, ele teria contratado funcionários fantasmas. No dia 17 de março, a pena foi agravada para prisão temporária.

Além de Vadinho, quatro ex-assessores foram presos, mas conseguiram ficar em liberdade após acordo de delação premiada. A Operação Casa Limpa investiga se outros vereadores também cometeram irregularidades no exercício do mandato.

No dia 6 de abril, uma equipe da Polícia Civil realizou ação de busca e apreensão na residência do suplente de vereador Sebastião Silva, o Pastor Sebastião. A operação foi realizada após oitivas com ex-funcionários de seu gabinete, e apreendeu R$ 2 mil, cofre, telefone celular e documentos para análise. Na quarta-feira passada (10/5), uma decisão do juiz da 4ª Vara Cível de Petrópolis, Jorge Luiz Martins Alves, afastou Sebastião do cargo.

O afastamento foi pedido pelo Ministério Público Estadual, e é baseado na denúncia dando conta de que Sebastião estaria realizando pressão sobre uma servidora, para que ela alterasse o seu depoimento sobre o caso. Além do afastamento, a decisão proibiu o vereador de frequentar a Casa Legislativa, inclusive de participar de atividades públicas. O gabinete foi esvaziado, e todos os documentos e dispositivos de armazenamento, como computadores, laptops, tablets e telefones celulares foram recolhidos.

Nenhum comentário: