Conheça os 3 estágios da evolução do Alzheimer. Confira e compartilhe!



Caracterizada pela piora dos sintomas de maneira progressiva, as pessoas que sofrem da Doença de Alzheimer apresentam diversos estágios da doença. Confira.

Caracterizada por uma piora dos sintomas de maneira progressiva, as pessoas que são acometidas pela Doença de Alzheimer podem apresentar períodos em que elas estão estáveis. Contudo, a evolução dos sintomas está dividida em três fases: leve, moderada e grave.

Fase leve

No começo, tanto parentes como amigos e até mesmo alguns profissionais acreditam que isso é apenas “velhice”, porque como a doença é gradual, não é fácil perceber exatamente quando ela começa a dar os primeiros sinais.

As alterações na fase inicial são marcadas por: perda da memória recente, desorientação no tempo e também no espaço, dificuldade para tomar decisões, perda de motivação e iniciativa, agressividade, depressão, diminuição do interesse por passatempos e atividades que gostava de fazer.
Comumente, a marca inicial nessa fase são: problemas com a fala, perda significativa de memória, dificuldade em saber o dia da semana ou mesmo o horário, reage com raiva e outros.

Fase moderada

Com a progressão do Alzheimer, as limitações passam a ser mais graves e também muito claras, pois a pessoa esquece o nome de pessoas próximas, não consegue mais viver sozinha, não é capaz de fazer compras, cozinhar ou limpar a casa, passa a ser muito dependente do seu cuidador e de algum membro da família.

Além disso, ela fica perdida tanto em casa quando fora, tem alucinações, a dificuldade na fala fica mais evidente e já não é capaz de se lavar ou se vestir sozinha.

Fase grave

Estágio avançado do Alzheimer é marcado pela total dependência e inatividade.
Na fase avaliada como mais grave, é notável a perda de memória e a dificuldade em conseguir recuperar informações que são consideradas antigas, como o reconhecimento de amigos, parentes e até mesmo de locais conhecidos.

A pessoa já não é capaz de se alimentar sozinha, porque tem dificuldade com a deglutição e também não sabe o que está acontecendo ao seu redor.

A perda motor também é uma marca do estágio avançado, pois a pessoa que foi acometida pelo Alzheimer já não consegue se locomover sozinha e com o passar do tempo, a tendência é que ela precise de uma cadeira de rodas ou ficará acamada.

É importante ficar atento aos sinais, além de ter ciência de que levar uma vida estressante, sem exercícios físicos e mentais são fatores que colaboram para o surgimento dessa doença. Simples ações que temos durante a nossa rotina já pode ajudar imensamente nessa prevenção.

Essas ações de prevenção variam entre cuidado com alimentação, com o colesterol, estimulação mental, como tocar algum instrumento ou aprender algo novo, por exemplo.

Esses cuidados e atividades são praticados periodicamente em lugares como clínicas de retaguarda ou casas de repouso em São Paulo por exemplo, mas são extremamente simples e fáceis de adaptá-las ao nosso dia a dia. Então fique ligado e sempre coloque a sua saúde em primeiro lugar!