Terreno disponibilizado para o Distrito Industrial da Posse abandonado


Prefeito Bernardo Rossi anuncia atração de empresas para o distrito com oferta de infraestrutura para a região

Descarte de entulho, movimentação de terra e montanhas de esterco aviário. Esse foi o cenário encontrado nesta quinta-feira (06.04)  pelo prefeito Bernardo Rossi durante uma visita ao terreno que foi disponibilizado para sediar o Distrito Industrial da Posse, em 2010.

“Encontramos um cenário preocupante, que mostra o abandono do local nos últimos anos. Além disso, constatamos um possível crime ambiental em um local próximo ao distrito Industrial. Então, de um lado temos um depósito de esterco e do outro, movimentação de terra, depósito de entulho e queimadas. Já conversamos com alguns empresários sobre a possibilidade de instalar empresas no distrito. Inclusive, um deles já projetou uma Parceria Público Privada para esse local. Essa foi apenas a primeira visita. Vamos tomar as providências cabíveis para oferecer  segurança para o distrito”, disse o prefeito Bernardo Rossi.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini, acompanhou a visita, junto com os diretores dos departamentos de Desenvolvimento Econômico, Fernando Pessoa e de Ciência e Tecnologia, Darlan Mendes.

 “Estamos focados em fazer o distrito funcionar de forma efetiva, chamando a atenção dos empresários para o potencial da Posse”, contou. Ele lembra que há necessidade de investimentos em transporte, energia elétrica e conectividade para o quinto distrito da cidade se tornar atrativo para as empresas.

O secretário de Obras, Ronaldo Medeiros, visitou o terreno onde a movimentação de terra está sendo feita junto com o biólogo Vitor Moreira, da secretaria de Meio Ambiente. “Constatamos o crime ambiental. Vamos identificar os autores do descarte de entulho e das queimadas. Uma investigação será feita e eles poderão ser autuados”.

O prefeito Bernardo Rossi também foi conferir o Complexo Industrial da Carbografite.  “Estamos, através da secretaria de Desenvolvimento Econômico, incentivando esse empreendimento. Tudo foi muito planejado e está bem cuidado, ou seja, tem tudo para atrair outras empresas para o espaço. A Carbografite pode ser âncora, exemplo para o distrito industrial”, considera Bernardo Rossi.

“No Complexo da Carbografite são onze galpões. A empresa vai ocupar dois e os outros serão disponibilizados para outras empresas. Cada galpão tem em torno de mil metros quadrados”, enumerou Marcelo Fiorini.