Prefeito reduz carga horária dos profissionais administrativos da Educação e chama 82 concursados



Via Ascom / PMP: Nesta segunda-feira (01.05), Dia do Trabalhador, o prefeito Bernardo Rossi assinará o documento que garante a redução da carga horária de 40 horas para 30 horas semanais para os servidores que atuam nos setores administrativos e de apoio da Secretaria de Educação. A solenidade está marcada para às 11h, na sede da prefeitura. A medida é o primeiro passo para implementar a carga diferenciada para toda a categoria e em toda a rede de educação.

“Essa é uma reivindicação antiga da rede municipal. Essa ação está sendo planejada sem a redução de salário e sem prejuízo para o bom funcionamento das escolas”, antecipa o prefeito Bernardo Rossi.

Uma série de visitas está sendo realizada nas 186 unidades da rede municipal com a intenção de levantar o número de profissionais de apoio em cada escola; 1.857 servidores. As visitas estão sendo realizadas por funcionários da secretaria de Educação junto com integrantes do Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe).

“Estamos fazendo um estudo de porte de cada escola porque a redução das 30 horas não pode prejudicar o bom funcionamento das unidades. Vale salientar que redução só vai começar quando esse estudo estiver pronto porque algumas escolas precisarão de reforço no quadro de funcionários. A partir daí, cada unidade vai elaborar um cronograma de trabalho pensando sempre em manter a qualidade no atendimento dos alunos”, explica o secretário de Educação, Anderson Juliano.

Serão beneficiados com a medida os cozinheiros, educadores de educação infantil, inspetores de disciplina, auxiliares de serviços gerais, zeladores, secretários e auxiliares de secretaria.

“Esse é um primeiro passo. Vamos trabalhar também para implantar a redução de um terço na carga horária dos professores. Infelizmente não conseguiremos atender todas as demandas nesse primeiro momento porque ainda estamos trabalhando para resolver os problemas administrativos que encontramos na secretaria, resultado da falta de investimento e má administração dos últimos anos”, explicou Anderson Juliano.

Comentários