segunda-feira, 10 de abril de 2017

Prefeito Bernardo Rossi presta contas dos primeiros 100 dias de governo



Em 100 dias de governo a administração Bernardo Rossi cortou gastos, recuperou recursos de convênios que haviam sido perdidos nos últimos 5 anos, negociou e quitou R$ 41 milhões em dívidas deixadas pela gestão passada e conquistou R$ 10 milhões em emendas parlamentares para intervenções em diferentes áreas.“É um conjunto de ações adotadas em todas as secretarias para organizar as contas, garantir os serviços e o funcionamento da prefeitura, e viabilizar investimentos futuros”, aponta o prefeito Bernardo Rossi. 

A política de contenção de gastos – uma economia de mais de R$ 2,3 milhões/ano - começou com o corte de veículos e celulares para secretários, redução de despesas com alugueis, telefones, combustível e horas extras, e se consolida com a reforma administrativa, que está reduzindo 180 cargos em comissão e funções gratificadas, uma economia de R$ 1,3 milhões por ano - R$ 5,2 milhões nos 4 anos da atual gestão.

“O controle das contas, adotado desde o primeiro dia foi o primeiro passo para a organização da casa, mas é preciso mudar a estrutura da administração, torna-la mais enxuta e eficiente, e isso está sendo feito com a reforma administrativa”, considera o prefeito. 

A reestruturação dos órgãos públicos municipais tem a chancela da Fundação Getúlio Vargas, que tem expertise no assunto. “Readequamos as funções, o que permitirá a redução de despesas, mantendo um serviço de qualidade e uma pronta resposta às demandas do dia a dia”, explica Bernardo.

O projeto de reforma administrativa foi feito em paralelo à reestruturação das contas. Em três meses a prefeitura negociou e pagou R$ 41 milhões em dívidas deixadas pelos antigos gestores. Até o mês de março quase R$ 25 milhões foram quitados, dos quais R$ 12 milhões na área de Educação, outros R$ 7,6 milhões na Saúde. Pendências parceladas somaram R$ 17 milhões - R$ 3 milhões referentes a dívidas com a Universidade Católica de Petrópolis e outros R$ 14 milhões negociados com hospitais conveniados, como Santa Teresa e Hospital Clínico de Corrêas. 

Na Coordenadoria Especial de Gestão Estratégica a prioridade foi a recuperação de convênios assinados entre os anos 2011 e 2015, num total de R$ 169,6 milhões. “São recursos federais que estavam praticamente perdidos e que conseguimos recuperar”, disse o prefeito. A regularização dos convênios garantiu nos primeiros três meses, que o município recebesse R$ 9,4 milhões em recursos dos Ministérios dos Esportes, Turismo e Cidades.

“São recursos federais que garantiram a retomada de obras que estavam paradas, como contenções de encostas em áreas de risco, construção de unidades habitacionais no Vicenzo Rivetti, a instalação de coberturas em quadras esportivas, obras em creches, investimentos em mobilidade urbana e segurança”, enumera o prefeito Bernardo Rossi, lembrando que “a articulação política garantiu ainda quase R$ 10 milhões em emendas parlamentares que irão viabilizar projetos nas áreas de Saúde, Turismo, Esportes e Obras. 


Nenhum comentário: