Abrigos de idosos recebem vacinas: Secretaria de Saúde vai implantar a partir de maio um sistema de vacinação domiciliar



A Secretaria de Saúde inicia nesta segunda-feira (24) o sistema de vacinação volante junto aos abrigos, casas de apoio a idosos, e locais com pacientes acamados. O objetivo é prevenir a doença em 213 idosos que serão visitados ao longo da semana em quatro abrigos.

Um cronograma de imunização votante está sendo organizando pelo Setor de Epidemiologia para contemplar 14 abrigos, além do envio de doses a outras três instituições, num total de 17 locais que atendem a idosos. A Secretaria de Saúde também vai implantar a partir de maio um sistema de vacinação domiciliar, em que profissionais de saúde visitarão pacientes acamados. Para receber a vacina em casa, o paciente deverá ligar para o setor de Epidemiologia e fazer a solicitação pelo telefone: (24) 2246-6796, de 9 às 15h.

Vacina está disponível em postos e unidades de saúde

De acordo com a prefeitura, as doses da vacina contra a gripe estão distribuídas em 31 Postos da Saúde da Família, seis Unidades Básicas da Família, além da Coordenação de Epidemiologia, Ambulatório Escola em Cascatinha, do Hospital Alcides Carneiro e do Centro de Saúde, com funcionamento de 8h às 15h, com o intervalo de 1h para almoço.

O secretário de Saúde Silmar Fortes diz que a Secretaria quer proporcionar maior acesso da população aos postos próximo à residência. A estratégia visa também diminuir os índices do ano passado de casos confirmados da doença. Em 2016 foram notificados 51 casos de influenza e nove foram confirmados. Por conta disso, a vacina é a melhor opção de prevenção.
“O nosso foco é a prevenção, com a população com maior vulnerabilidade à influenza se vacinando agora, podemos combater o contágio da doença antes da chegada do inverno. Isso é fundamental, porque as baixas temperaturas contribuem para o aumento dos casos de doenças respiratórias. Além disso, o organismo demora aproximadamente 15 dias para criar os anticorpos necessários para prevenção da doença”, explica Silmar Fortes.

A expectativa é que sejam imunizadas mais de 100 mil pessoas entre idosos, crianças com idade entre 6 meses e 5 anos, gestantes e mulheres no período até 45 dias após o parto. Profissionais de saúde e professores das escolas públicas e privadas e pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, independente da idade, também devem ser vacinadas. No entanto, neste último caso, mantém-se a necessidade de prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina e nos casos dos profissionais, a apresentação de algum documento que comprove sua atuação.

A coordenadora da Epidemiologia, Elisabeth Wildberger, explicou que a meta é que até o dia “D” de vacinação – 13 de maio – sejam imunizadas 80% da população.

“Por ser um sábado, nós acreditamos que teremos um movimento maior de pessoas tomando a vacina, principalmente das pessoas que trabalham durante a semana. É importante ressaltar que é preciso apresentar documento de identidade e cartão de vacina quando for se vacinar”, orienta Elisabeth Wildeberger.

Comentários