quarta-feira, 15 de março de 2017

Secretaria de Saúde recupera 12 viaturas para ampliar a assistência à população



Em menos de um mês a Secretaria de Saúde colocou em funcionamento12 dos 33 veículos que estavam parados por falta de manutenção. Carros, motos, vans e ambulâncias estavam em depósitos sem previsão de reparos desde novembro de 2016. Após identificar o descumprimento contratual, a Saúde rescindiu o contrato da empresa responsável e convocou o segundo colocado da licitação para iniciar o serviço. Atualmente apenas 11 carros estão na oficina e a previsão é que em curto prazo a frota com 84 carros já esteja completa para melhor assistir a população.

Mensalmente cerca de 800 petropolitanos utilizam os carros administrativos para se deslocarem dentro e fora do município para realizar consultas e acompanhamentos médicos, exames e tratamentos. “Petrópolis precisa ser cuidada, com capricho. Mesmo com poucos recursos estamos aplicando economia para devolver à cidade a estrutura que ela precisa para atender à população”, aponta o prefeito Bernardo Rossi.

O secretário de Saúde, Silmar Fortes, explica que um levantamento da frota foi realizado em janeiro e os problemas relacionados ao transporte estavam impactando diretamente a qualidade da assistência aos pacientes.

“A falta de revisão mecânica levou a uma série de problemas que, acumulados, inviabilizaram o uso dos veículos. Esta foi mais uma herança deixada pela gestão anterior, que consertamos. Agora vamos melhorar a logística do transporte e agilizar o acompanhamento e o tratamento da população.”, explicou Silmar Fortes.

A última leva de veículos recebida pela Secretaria de Saúde foi em 2015: dois carros e uma ambulância básica. Devido à falta de revisão, todos precisaram de conserto. No levantamento feito pela Secretaria de Saúde 21 carros administrativos, 5 ambulâncias e 7 motos precisavam de manutenções simples como: troca de óleo, pneus, buzinas e baterias.

Com a frota em dia, a população será mais bem assistida. Atualmente três vans são usadas diariamente para o transporte de pacientes ao Rio de Janeiro e outros municípios. Em média, 30 pacientes são submetidos a tratamentos fora da cidade como hemodiálise, tratamentos oncológicos e em recuperação por transplantes renais.

“Alguns pacientes são encaminhados a municípios próximos para realizarem tratamento contínuo. As duas ambulâncias das UPAS também já estão em funcionamento. Há ainda um grande número de veículos com latarias amassadas e problemas mais graves, mas estamos nos organizando para colocar essa frota em dia e, assim, aperfeiçoaremos a assistência à população”, destaca Silmar Fortes.

Nenhum comentário: