quarta-feira, 8 de março de 2017

Guarda Civil intensifica atuação contra flanelinhas




A Guarda Civil está atuando para coibir a ação de flanelinhas. Esta é mais uma das atribuições dos homens que participam das rondas de patrulhamento em toda cidade. O planejamento é o mesmo feito no caso dos ambulantes irregulares que ficavam na Rua do Imperador e na Paulo Barbosa: depois de um período de identificação das pessoas que faziam o serviço sem permissão, a Guarda passou a abordar e fazer orientação. A terceira parte será coibir a presença deles, que ficam principalmente no entorno do Hotel Quitandinha e nos arredores dos atrativos turísticos que formam o Circuito à Pé, no Centro.

Em campo, a Guarda constatou que pelo menos 30 pessoas atuavam como flanelinhas. Alguns são de fora da cidade e ficam principalmente no Quitandinha, em dos pontos turísticos que mais atraem visitantes em Petrópolis. A partir de agora, está feito um contato com todos eles. No último final de semana, em rondas pelo local, alguns deles foram informados de que não podem atuar sem registro profissional que é emitido para lavadores de carro. Já na terça-feira (07.03), houve abordagem de flanelinhas no Centro, próximo ao Museu Imperial.

“A Lei de Contravenção Penal determina que é preciso registro em Delegacia do Trabalho para ser lavador de carro. Além disso, também tem outro fator que impede a atuação deles, que é o estacionamento rotativo, que normatiza essa questão no município”, diz o comandante da Guarda, Jeferson Calomeni.

Fora o exercício irregular da profissão, os flanelinhas podem ser levados para a delegacia e tipificados por extorsão ou ameaça. “Em geral, as pessoas acabam pagando o flanelinha por medo de ter o carro danificado, não porque ele vai ser melhor cuidado. Isso pode caracterizar extorsão por causa da ameaça que a pessoa sente em relação ao patrimônio”, explica Calomeni.

O comandante da Guarda destaca que muitos desses flanelinhas são menores de 18 anos e que, por isso, a terceira fase da operação será realizada em conjunto com Vara da Infância e da Juventude e Conselho Tutelar.

Mais uma atribuição da Guarda

A atuação para coibir o exercício dos flanelinhas se soma a outras atribuições que serão fiscalizadas durante as rondas de patrulhamento na cidade. Com a maior presença dos Guardas nas ruas, determinada pelo prefeito Bernardo Rossi, há maior segurança dos cidadãos e do comércio local. Delitos de menor potencial ofensivo têm sido evitados por causa da maior cobertura dada pelo efetivo da instituição, como furtos e tráfico de drogas. Pontos turísticos e de vendas, além das escolas do município, também estão com maior proteção.

“Desde o início do governo Bernardo Rossi, nos deparamos com diversas situações que exigiam maior atuação da Guarda. Aos poucos, fomos retomando os espaços e dando maior segurança aos cidadãos e à cidade. Primeiro, atuamos na Praça da Águia (Visconde de Mauá). Depois, fomos para a Praça da Liberdade e temos postos fixos nesses dois locais. Em seguida, coibimos a presença de ambulantes ilegais no Centro. Também retomamos a ordem na 13 de Maio, que estava virando terra de ninguém. A cada ponto resolvido, encontramos um novo desafio à frente, como agora com os flanelinhas. Mas, estamos preparados para trabalhar no que for necessário”, garante o comandante da Guarda.

Nenhum comentário: