Governo Rossi garante para Defesa Civil de Petrópolis sistema de monitoramento inédito no Brasil



Inédito no Brasil, o sistema de dados para gestão do Risco de Desastres e Programa de Resposta – projeto Gides - começa a funcionar na sala de operações da Defesa Civil na quarta-feira (08.03) analisando as informações de comportamento e saturação do solo, com base em cálculos matemáticos. O sistema, já aplicado no Japão, tem como alicerce um estudo de campo realizado durante três anos em todas as partes da cidade.

A nova sala, que fica ao lado do Centro de Operações (CEOP), conta com duas TVs de 32 polegadas, dois notebooks e um mapa explicativo sobre como funciona a metodologia de prevenção japonesa. Petrópolis está entre as cinco cidades brasileiras selecionadas para receber a etapa experimental projeto, ao lado de municípios como Nova Friburgo (RJ) e de Blumenau (SC).

“É um projeto experimental, que vai trazer uma nova maneira de pensar e planejar a prevenção aos desastres em Petrópolis. A Defesa Civil ganha, e consequentemente, os petropolitanos também”, afirmou o secretário de Defesa Civil, coronel Paulo Renato Vaz.

Com a mudança, a Defesa Civil passa a acompanhar as chuvas também por gráficos, que calculam os riscos médios e altos de deslizamentos, com base nos acumulados de chuva. Até fevereiro, esse acompanhamento era feito apenas por pluviômetros, que indicavam a quantidade de chuva em intervalos de tempo - 15 minutos, uma hora, quatro horas, um dia, quatro dias e um mês.

“A metodologia japonesa utiliza cálculos no monitoramento. A Defesa Civil, durante todo o acordo de cooperação, fez o apanhado do comportamento do solo em várias partes da cidade no período de chuvas. Com o acesso a esses dados, vamos atuar melhor com base nos riscos identificados em cada parte de Petrópolis”, explica o diretor do Departamento Técnico, Operacional e de Fiscalização da Defesa Civil, Ricardo Branco.

Uma equipe vai acompanhar o monitoramento dos dados 24 horas por dia. Esse foi um pedido feito pelos japoneses, que querem ter acesso à informação das chuvas na cidade no menor tempo possível.

“As informações serão encaminhadas praticamente em tempo real. A ideia é criar uma base de dados para entendermos os riscos que cada local da cidade oferece”, disse Ricardo Branco.
Ainda na quarta-feira será feita a apresentação do novo modelo a todo o secretariado.

“A Defesa Civil trabalha com a prevenção, e assim como determinou o prefeito Bernardo Rossi, toda equipe vai dar o suporte necessário para a parceria funcionar”, assegura o secretário de Defesa Civil.

O Projeto GIDES é executado pelo Ministério das Cidades, pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação - CEMADEN, pelo Ministério da Integração - CENAD e pelo Serviço Geológico Brasileiro – CPRM, contando com a cooperação de especialistas japoneses do Ministério da Terra, Transporte, Infraestrutura e Turismo – MLIT, da Agência de Meteorologia do Japão e de outros órgãos de expertise na área, através da Agência de Cooperação Internacional do Japão – JICA

Cenad vai ajudar a Defesa Civil no preenchimento online do plano de contingência

Uma equipe do Centro Nacional  de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) vai ajudar os agentes da Defesa Civil no preenchimento online do plano de contingência do projeto de Gestão Integrada de Desastres Naturais (Gides). Com essa novidade, órgãos estaduais e federais terão acesso às informações do município, facilitando a resposta nacional em caso de emergência. Petrópolis é a primeira cidade a receber o treinamento, que será realizado em todo o país. A palestra dos técnicos do Cenad será realizada este mês na sala de cooperação da Defesa Civil. 

“Acho importante a padronização do plano de contingência em nível nacional. Os municípios que já tem as áreas de risco mapeadas, como é o caso de Petrópolis, vão disponibilizar essas informações nesse sistema”, explica o diretor do Departamento Técnico, Operacional e de Fiscalização da Defesa Civil, Ricardo Branco. “Pelo sistema Nacional de Defesa Civil será permitido também que planos de contingência, de temas diferentes, sejam elaborados pela internet”, completa.

O treinamento faz parte do projeto Gides – parceria entre o governo brasileiro e a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) com o objetivo de reduzir desastres naturais nos municípios de Petrópolis, Nova Friburgo e Blumenau (SC), por meio de manuais produzidos por técnicos japoneses. Dentro disso, existe o eixo de alerta e alarme, com a parte operacional conduzida pelo Cenad.

“Esse treinamento é mais um passo que damos no projeto Gides. A parceria com a Jica é um grande passo na prevenção. Estamos dando todo o apoio necessário para que a parceria seja bem sucedida”, disse o secretário de Defesa Civil, Coronel Paulo Renato Vaz.

Comentários