Escolas de Friburgo e Petrópolis, RJ, aderem à paralisação nacional de 24h



As creches e escolas municipais de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, aderiram nesta quarta-feira (15) ao movimento nacional contra a reforma da previdência. Segundo informações do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe), a paralisação é de 24 de horas e as 130 unidades escolares estão fechadas nesta quarta.

Ainda de acordo com o Sepe, os pais dos alunos foram informados sobre a paralisação, aderida pelos professores e profissionais de apoio, após assembleia na última quarta-feira (8). As aulas acontecem normalmente a partir desta quinta-feira (16).

Segundo a Polícia Militar (PM), não há registro de manifestações no município. O transporte público e os bancos operam normalmente.

Já em Petrópolis, as 11 escolas estaduais aderiram parcialmente à paralisação. Segundo a coordenadoria do Sepe na cidade,  alguns professores que optaram pelo protesto não trabalharam hoje, já outros, seguem normalmente com as aulas. Cada escola está autorizada a decidir sobre o horário de término das aulas.

Rose Silveira, coordenadora do sindicato, informou também que a rede municipal irá fazer uma panfletagem às 15h no calçadão do Colégio Dom Pedro, seguido de ato público às 17h. A Guarda Civil informou que não há protesto no município na manhã desta quarta. Já a PM, afirmou que uma equipe irá acompanhar as ações prevista para a tarde.

O transporte público e os bancos da cidade também estão funcionamento sem alterações.

Entenda o motivo do movimento

O Governo Federal mandou para o Congresso Nacional um pedido para mudar para 65 anos a idade mínima para os professores aposentarem. Isso acabaria com a atual aposentadoria especial. Atualmente, as professoras podem pedir aposentadoria com 25 anos de contribuição e 50 anos de idade e os professores com 30 anos de contribuição e 55 anos de idade.

fonte: G1