quinta-feira, 9 de março de 2017

Bernardo Rossi consegue terrenos com estado para a construção de 320 unidades habitacionais



O governo do Estado vai ceder ao município três terrenos destinados à construção de casas populares.  As áreas que perfazem 123 mil metros quadrados – Vale do Cuiabá, Benfica e Mosela – têm capacidade para receber 320 unidades.  A meta da prefeitura é acelerar junto ao Ministério das Cidades a liberação para obter as autorizações da Caixa Econômica Federal para a construção de unidades do Minha Casa Minha Vida, faixa 1. O secretário de Estado de Obras, José Iran, selou o compromisso com o prefeito Bernardo Rossi nesta quarta-feira (08.03) em reunião na sede da prefeitura. 

“Petrópolis, que tem hoje 1,2 mil famílias em aluguel social, não pode ficar sem um programa habitacional como vem acontecendo há várias gestões. Vamos acelerar este processo para reduzir a dívida social em moradia”, afirma Bernardo Rossi. O secretário de Obras afirmou que a administração estadual fará o desembaraço legal da cessão dos terrenos o mais rápido possível. “A partir do interesse da prefeitura, que agora é real, no desenvolvimento dos projetos habitacionais, resta apenas estabelecer a forma jurídica de repassar as áreas a Petrópolis”, aponta.  

 “Houve, a partir das chuvas de 2011, uma sucessão de equívocos que agravou ainda mais questão habitacional na cidade. Duas gestões atravessaram seis anos sem conseguir a entrega de uma única habitação porque quiseram, sozinhas, dar conta do programa. Na minha gestão, a ajuda é bem-vinda em esfera estadual ou federal, sem bandeiras partidárias. O que importa é iniciar um programa habitacional consistente”, afirma o prefeito Bernardo Rossi.

Da secretaria nacional de Habitação do Ministério das Cidades, o prefeito Bernardo Rossi já tem o compromisso assegurado dos projetos habitacionais de Petrópolis serem analisados com rapidez.  Em Brasília no início de fevereiro, Bernardo Rossi esteve com a secretária, Maria Henriques Ferreira Alves, apresentando o déficit habitacional da cidade, a falta de construções nos últimos anos, a perda de oportunidade com o MCMV e os números de famílias que perderam as casas em desastres.

Na ocasião, Bernardo Rossi, apresentou ainda três terrenos do município disponíveis para integrar o programa Minha Casa Minha Vida, que podem comportar 720 unidades habitacionais (Caititu), 188 casas (Estrada da Saudade), e outras 96 (Quitandinha). 

“Com essa boa notícia da disposição do estado em ser parceiro de Petrópolis e ceder mais estas áreas, a meta é apresentar todos os projetos juntos ao Ministério das Cidades para iniciar as construções”, afirma o secretário de Obras de Petrópolis, Ronaldo Medeiros.  “Estamos trabalhando para recuperar o tempo perdido por administrações anteriores que não souberam aproveitar o auge do programa Minha Casa Minha Vida. Hoje, o programa federal está reformulado e vamos, nos novos moldes apresentados, ser eficientes para aprovação dos projetos”,  completa Bernardo Rossi.

Nenhum comentário: