Ação vai marcar o Dia Municipal de Conscientização sobre a Epilepsia em Petrópolis



O dia 26 de março é comemorado em diversos países como o Dia Roxo, ou “Purple Day”, e tem como objetivo o fim do preconceito a essa condição neurológica que atinge milhões de pessoas em todo o mundo.

Em Petrópolis, RJ, foi aprovada a Lei nº 7411/16, de autoria da vereadora Gilda Beatriz, que institui a “Campanha Março Roxo – Dia Municipal de Conscientização sobre a Epilepsia”.

– É necessário que haja um esclarecimento sobre o que é a epilepsia e as suas consequências. Ainda existe muito preconceito contra a pessoa que possui essa condição neurológica e, em alguns casos, essa situação faz até com que a pessoa não consiga arranjar um emprego ou tirar carteira de motorista, além de prejudicando a vida pessoal do paciente e seu lado psicológico. Em muitos casos, afetando também a parte física, social e econômica, revelando dificuldades não só individuais, mas também familiares, escolares e sociais, especialmente devido ao desconhecimento, crenças, medo e estigma – explica a vereadora.

Com apoio da Câmara Municipal, Tatiana Pereira, mãe de criança com epilepsia, organizou para o próximo sábado (25.03), no calçadão do CENIP, de 10h às 14h, uma campanha para combater o preconceito.

– Petrópolis com a ajuda do legislativo, através da vereadora Gilda Beatriz, é uma das poucas cidades brasileiras a aderir e incentivar a conscientização de uma doença tão antiga no mundo como a Epilepsia. Nossa campanha tem a finalidade de conscientizar a população sobre uma doença que até os dias de hoje é tratada entre os “dentes” pela falta de informação.  Algumas vezes achando até que existe relação com algo sobrenatural. A ideia da campanha que começou ano passado de forma discreta e que vem tomando força com a ajuda da vereadora e adeptos, surgiu quando pude sentir na pele o que as mães sentem com os diversos tipos de Epilepsia que existem. É uma dor e uma sensação de perda tão forte ao vermos nossos filhos, mesmo que por instantes, perdidos em seus próprios corpos... Não sei se a população sabe, mas cerca de 30% dos casos são refratários a medicação, fazendo com que a pessoa possa ter 40, 70 crises ao dia, levando a diversos atrasos e complicações. A intenção da campanha é a desmistificação da Epilepsia, tornando um assunto fácil e acessível a todos. Além disso, criar uma ponte onde possamos encontrar essas mães que são da nossa cidade e que muitas vezes vivem à margem da sociedade, presas em seus mundos pois não querem expor seus filhos a eventos e as ruas da cidade. Quero de alguma forma encontrar maneiras de promover encontros, palestras e reuniões para que essas Mães da Epilepsia saibam que não estão sozinhas e que a troca de informações e experiências por muitas vezes já é de grande conforto – completa.

A epilepsia é a condição neurológica crônica mais comum em todo o mundo e afeta todas as idades, raças e classes sociais. No Brasil, é estimado que existam três milhões de pessoas com epilepsia, sendo que a este número somam-se 300 novos casos por dia. 

Comentários