sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Prefeitura quer conclusão das obras da nova subida da serra



O prefeito Bernardo Rossi vai se reunir com secretário-executivo do Ministério dos Transportes, Fernando Fortes, nesta sexta-feira (10.02). O encontro, que será no escritório da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), no Rio de Janeiro, é um desdobramento da reunião, em Brasília, entre o prefeito e o presidente da agência, Jorge Bastos, na semana passada. Petrópolis vai apresentar ao representante do Ministério pleito para que o governo federal dê o aporte financeiro para a conclusão da estrada.

“Os 180 quilômetros da Rio-Petrópolis-Juiz de Fora afetam todos os municípios por ela cortados, incide diretamente sobre a economia de Minas e do estado do Rio, porém, mais do que isso: ela é, em seus 40 quilômetros, das pistas de subida e descida da serra, fundamental para Petrópolis”, pondera o prefeito que cobra a conclusão da nova pista de subida: “uma obra que a cidade espera há 21 anos, mas que agora tem caráter urgente”.

A reunião terá ainda a presença do presidente da ANTT, Jorge Bastos, e do presidente da Firjan, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira. No final do ano passado, a Firjan apresentou novo estudo projetando em R$ 1,5 bilhão os prejuízos em acidentes na BR-040 apenas no trecho da serra. O levantamento mostra que haverá perda anual de R$ 531 milhões com engarrafamentos, veículos quebrados, interrupções na estrada, mortes e feridos. A estimativa é de que no período, 3.500 novos acidentes sejam registrados.

A BR-40 é a principal via de acesso usada por mais de 1,5 milhão de turistas que chegam à cidade anualmente. É essencial para escoamento e emissão de matéria prima para as 277 indústrias da cidade, assim como influencia diretamente os mais de cinco mil pontos comerciais e de serviços existentes no município e os mais de 10 mil petropolitanos que se deslocam para o estudo ou trabalho todos os dias no Rio e Região Metropolitana.

O trecho de 180 quilômetros administrado pela Concer é o principal corredor de tráfego entre os estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, com uma média diária de fluxo de 65 mil veículos, sendo uma das principais ligações do Sudeste brasileiro.

Já ficou definido junto à ANTT que uma equipe do governo municipal fará o acompanhamento da obra de construção da nova pista de subida da serra. “A obra impacta diretamente o Bingen, bairro por onde todo o fluxo vindo da estrada vai desembocar. A Concer sequer fez um estudo das conseqüências do novo traçado no perímetro urbano e esse é um dos pontos que a prefeitura tem obrigação - e nunca cumpriu – de acompanhar. E vamos agora acompanhar. A nova estrada é fundamental e tem que estar pronta, segura e condizente com que a cidade precisa”, completa Bernardo Rossi.

As obras da nova pista de subida – 22 quilômetros -  estavam previstas desde o início da concessão da Concer, em 1995. A construção da nova pista começaria em 2010, com prazo de entrega em 2014. Porém, a obra foi iniciada em 2013 e deveria ter sido concluída em junho de 2016, mas acabou paralisada por falta de recursos e questionamentos de custos em meados do ano passado.

Nenhum comentário: