Petrópolis já conta com teste rápido contra Dengue, Zika e Chikungunya. Resultado sai em menos de 24h



O laboratório de Corrêas, antecipando-se ao reaparecimento das epidemias das doenças transmitidas pelo mosquito aedes aegypti: Dengue, Zika e chikungunya, implantou os testes rápidos para os diagnósticos das três patologias que são liberados no mesmo dia. A indicação dos exames tem como objetivo confirmar no primeiro ou segundo atendimento, o diagnóstico de Dengue, pois esta grave doença possui risco maior na fase aguda de levar o paciente ao óbito quando comparado com as outras duas. 

De acordo com o Diretor do Laboratório de Corrêas, Dr. Denisvaldo Vieira Silveira, o teste rápido será de grande ajuda principalmente pela rápida resposta na definição do diagnóstico e tratamento dos pacientes. 
.
“Mesmo com os surtos de zika e chikungunya, a nossa grande preocupação continua sendo a dengue já que a doença pode levar a óbito mais rapidamente por provocar desidratação. Com a implantação do teste, os médicos terão mais segurança ao aplicar o tratamento adequado aos seus pacientes.”, explicou.

De acordo com o Diretor Médico, Dr. Antônio Luiz Chaves Gonçalves, o Laboratório de Corrêas tem metodologia para o diagnóstico rápido até os quatro primeiros dias do início dos sintomas para a confirmação do vírus da Dengue. 

 “Nós liberamos os resultados em todas as nossas unidades e pela internet no mesmo dia da coleta, com taxa de precisão de 95%. O teste é feito com um kit composto por um sistema de leitura acoplado a um aparelho específico para a função. Com o uso de um reagente, o equipamento mostra se o exame é ou não positivo.”, explicou Dr. Antonio Luiz.

Em relação ao diagnostico na fase aguda da Zika e chikungunya o laboratório também implantou métodos rápidos a partir do quinto dia do inicio dos sintomas que também são liberados no mesmo dia. 

A Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro anunciou que 50% da população do Estado terão chikungunya, que se caracteriza por febre acima de 39 graus, de início repentino, e dores intensas nas articulações de pés e mãos – dedos, tornozelos e pulsos. Pode ocorrer, também, dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. Cerca de 30% dos casos não chegam a desenvolver sintomas. “Por conta disso é importante realizar o exame para a confirmação da doença e tratamento adequado. Não existe vacina para as doenças relacionadas ao Aedes Aegypti e a prevenção continua sendo a melhor maneira de evitar a doença fiscalizando e acabando com os possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti.”, finaliza Dr. Antonio Luiz.