Negociação com fornecedores garantirá cardápio balanceado nas escolas da rede municipal


Toneladas de alimentos já foram recebidas e estão sendo distribuídas nas escolas

A merenda está garantida nas escolas da rede municipal. O secretário de Educação, Anderson Juliano, negociou as dívidas deixadas pela administração passada com os produtores e fornecedores e garantiu a chegada no depósito de nove toneladas de gêneros alimentícios não perecíveis. As escolas estarão abertas a partir de amanhã (01.02) para receber os estudantes.

Entre os gêneros alimentícios estão o alho processado, chocolate, ervilha seca partida, macarrão espaguete e o sal. O extrato de tomate, que não era recebido desde julho, também chegou. Além dessas nove toneladas, produtos perecíveis também estão garantidos; outras 14 toneladas de carne e 24 toneladas de produtos hortifruti completarão o cardápio.

“Conversamos com os fornecedores e explicamos a situação. A nossa obrigação é resolver todos os problemas. Essa é uma determinação do prefeito Bernardo Rossi, que trabalha para que a alimentação escolar tenha mais qualidade, variedade e seja servida em maior quantidade. Estamos arrumando a casa. O importante é que o retorno aos estudos está garantido para os alunos petropolitanos”, disse Anderson Juliano.

No início de janeiro, durante uma primeira visita no depósito da merenda, a atual gestão da secretaria de Educação constatou um colapso no estoque na merenda escolar. Dos 26 gêneros que estavam armazenados no local, a maioria só garantiria um mês de fornecimento em toda rede municipal de ensino. Além disso, com os produtos disponibilizados, não seria possível montar um cardápio balanceado.
           
Escolas abertas para receber os alunos

A Secretaria de Educação publicou no dia 5 de janeiro, no Diário Oficial do município, a resolução que mantém o cumprimento dos 200 dias letivos em todas as escolas da rede municipal. O ano letivo começa oficialmente no dia 1º de fevereiro. O primeiro semestre seguirá até o dia 11 de julho.

Para não afetar a saúde das crianças, as salas das quinze escolas onde foram constatados problemas como infiltrações e mofo, serão interditadas até o início das obras. Os espaços ficarão isolados até que as reformas necessárias sejam feitas. Os estudantes serão realocados em outras salas que estão sendo adaptadas, nas mesmas unidades de ensino.

A única unidade que não funcionará será o CEI Esmeralda Cabloca, localizado no Meio da Serra. Após uma vistoria realizada no dia 23 de janeiro pela secretaria de Educação, SEPE (Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação), COMED (Conselho Municipal de Educação) e CAE (Conselho de Alimentação Escolar), o secretário de Educação, Anderson Juliano anunciou que vai pedir a revogação do decreto de criação do CEI. No lugar a inspeção não encontrou encanamento de água e a rede de esgoto foi canalizada para ser despejada diretamente no leito de um riacho. O CEI Dona Esmeralda Caboclo foi inaugurado no dia 29 de dezembro de 2016.