Itaipava terá base fixa da Guarda Civil a partir de março

Durante reunião do Conselho Comunitário de Segurança, chefe da corporação anunciou a novidade

Grupo de 10 homens vai ficar sediado no Parque de Itaipava, mas contará com três veículos para fazer rondas de patrulhamento na região

A partir de março, Itaipava passará a ter uma base fixa da Guarda Civil. Serão 10 homens que usarão o Parque Municipal como ponto de referência, mas vão utilizar dois carros e uma moto para realizar rondas de patrulhamento na região. A medida, uma determinação do prefeito Bernardo Rossi, foi anunciada pelo chefe da corporação, Jeferson Calomeni, durante a reunião do Conselho Comunitário de Segurança (CCS), ocorrida no Parque na última segunda-feira (20.02).

Esse é mais um passo para expandir a atuação da Guarda Civil. Ao longo dos dois primeiros meses de 2017, diversas ações foram implementadas na cidade para aumentar a segurança da população, algo que teve grande reconhecimento na reunião do CCS.  Pela primeira vez participando da reunião do Conselho Comunitário de Segurança, a Guarda Civil quer se estabelecer com ações em todo o território, inclusive os distritos.

“Petrópolis é uma só. É preciso governar para a cidade toda e não apenas no primeiro distrito. E a Guarda tem sido um diferencial nesta nossa gestão com uma série de projetos abandonados que retomamos”, analisa o prefeito Bernardo Rossi.

“Pela primeira vez participando do Conselho, ficamos feliz com o reconhecimento do trabalho que já fizemos e a oportunidade de interagir com a comunidade e mostrar quais os nosso objetivos para os distritos”,  comenta o chefe da Guarda, Jeferson  Calomeni, que foi questionado sobre o choque de ordem, ronda escolar, câmeras de monitoramento, entre outros pontos.

O anúncio da base em Itaipava veio diante de questionamento sobre o aumento do efetivo da Guarda na região. Segundo ele, dois carros estão em fase final de revisão mecânica e ganharão jogo de pneus novos para entrar em operação já no início do mês que vem. Com isso, será possível fazer o patrulhamento no Hortomercardo Municipal e nos terminais de Itaipava e Corrêas, principalmente em horários de pico. Além disso, o terceiro carro da ronda de escolar que ainda será entregue após voltar da oficina também será deslocado para Itaipava, atendendo mais um pedido dos moradores.

Guarda Civil pela primeira vez no CCS

Além de anunciar a base fixa e o deslocamento de um carro da ronda escolar para Itaipava, o chefe da Guarda também ouviu pedidos para que o choque de ordem, que tem acontecido em ruas do Centro, também seja realizado em bairros como Corrêas. Ele garantiu que o serviço será ampliado e levado para os distritos.

Sobre as câmeras de segurança, Calomeni informou o trabalho do prefeito Bernardo Rossi para recuperar uma verba de R$ 500 mil de uma emenda da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) para montagem de uma central com 100 máquinas. Os participantes da reunião aproveitaram e pediram que algumas dessas câmeras façam o monitoramento da região, o que será estudado, confirmou o chefe da Guarda.

O Conselho Comunitário de Segurança Pública existe desde 2009, mas nunca teve a presença da Guarda Civil nesses oito anos. Calomeni garante que essa proximidade ajudará no trabalho a ser desenvolvido por lá.

“Essa parceria entre todos os participantes do Conselho e a Guarda é fundamental para fazer a coisa funcionar. Fiz questão de ir como comandante da corporação porque sei que a comunidade é quem mais entende as necessidades locais. O trabalho integrado com outros órgãos tem rendido muitos resultados em outras ações e não será diferente agora com o Conselho”, disse o chefe da Guarda.

O coordenador de Segurança, Maurício Borges, também esteve no encontro do CCS. A reunião contou ainda com a presença de representantes do 26º Batalhão da Polícia Militar, 105ª e 106ª Delegacia de Polícia (Retiro e Itaipava), Centro de Referência de Atendimento à Mulher (Cram), Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) e da sociedade civil.


Comentários