Guarda Civil vai usar cães no policiamento em Petrópolis, RJ



Dez Guardas Civis de Petrópolis estão sendo treinados para utilizar cães no patrulhamento da cidade. Hoje, a Guarda Civil possui oito animais, porém eles não são usados na função por falta de adestramento e instalações adequadas para manejo dos animais. A primeira turma, que incluiu sete GCs de Miguel Pereira, concluiu nesta sexta-feira (24.02) um curso de “Condução e Manejo de Cães de Trabalho Policial” realizado durante a semana na sede da instituição. As aulas teóricas e práticas foram dadas sob orientação do cinotécnico (especialista em adestramento de cães) e dog training K-9, Leandro Lopes.

A matilha da GC inclui pastor belga malinois, rottweiler e pastor holandês.  O comandante da Guarda, Jeferson Calomeni, destacou que os cães são uma grande ferramenta para a segurança. Ele ainda falou que está trabalhando para ativar efetivamente o canil. Os cães, que já tem 11 filhotes, não chegaram a ser usados com freqüência desde que foram adquiridos.

"Eu sou um entusiastas do uso dos cães e estou me esforçando para ter um canil de fato, com toda a estrutura necessária e cuidados que os animais têm que ter. O principal aqui é que somos nós e vocês que estão no curso que vamos tocar esse projeto", afirmou.

Ao longo das 40 horas do curso, os guarda fizeram treinamento na chuva, no mato, palestras com veterinários, além de uma prova no último dia do curso.

"A intenção aqui foi fazer o primeiro contato dos alunos com os cães e situações que podem ocorrer no dia a dia, além de mostrar que o manejo do cão não é só técnica e não é só emoção. É uma junção dos dois. O curso foi extremamente proveitoso e já estamos conversando com a Guarda de Petrópolis para fazer módulos intermediário e avançado desse curso, entre outros. Com certeza esse foi o primeiro de muitos cursos", comentou o instrutor do curso.

O guarda Leandro da Silva, que tem 10 anos na corporação, contou o que absorveu com as aulas e palestras. “Nunca tinha tido o contato com cães e aprendemos como conduzir o cão, o processo de segurança, treinamento, alimentação dele, como deve ser a estrutura do canil”, contou.

A guarda Eliane Ignácio, de Miguel Pereira, contou que esse curso é o primeiro passo para implantação de um canil por lá. “Miguel Pereira não tem, então por isso houve esse convite para ser o primeiro passo para a gente poder montar o canil agora. Foi um curso produtivo, em que nós aprendemos a parte teórica e prática de como agir como condutores de cães”, disse a guarda. 





Comentários