Guarda Civil reprime furtos no comércio do Centro



A presença ostensiva da Guarda Civil no centro da cidade resultou somente esta semana em três flagrantes de furto. O último deles foi registrado em uma loja de utensílios domésticos na Rua Marechal Floriano Peixoto, no Centro. Na quarta-feira (22.02). As rondas periódicas promovidas pela instituição, além de aumentar a proteção da população em geral, também têm ajudado a deixar os comerciantes da cidade mais seguros.

“A presença da Guarda dá mais sensação de segurança e cuidado. Temos visto que eles estão de vigilância o tempo todo e essa intervenção é muito necessária para a cidade. Nossa impressão sobre o trabalho deles é a melhor possível”, destaca o empresário Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, dono de uma ótica.

Em um primeiro caso, ocorrido no dia 16, um homem que furtou produtos de quatro estabelecimentos foi preso em flagrante na Rua Dr. Porciúncula. Na manhã da última quarta, um rapaz e um adolescente acabaram detidos ao tentar levar pacotes de leite em pó e desodorantes de um supermercado da Rua Paulo Barbosa. Nesses dois casos, todos eles tentaram fugir, mas foram pegos por guardas.

Ainda na última quarta, por volta de 16h, mais um homem foi preso. Dessa vez, ele tentou furtar oito jogos de chave de fenda. A Guarda fazia uma ronda e conseguiu impedir que ele fosse embora com os produtos. Levado para 105ª Delegacia de Polícia, ele ficou preso e não teve direito a pagamento de fiança devido ao histórico criminal – ele tem passagens por ameaça e agressão (ambas no âmbito da Lei Maria da Penha). Na delegacia, alegou que estava desempregado e ia tentar vender as mercadorias.

Ação para coibir ambulantes e homens em áreas de comércio

Essas prisões fazem parte de uma ação mais ampla que visa proteger o comércio da atuação de criminosos. O primeiro passo para isso foi coibir a presença de vendedores ambulantes irregulares pelo Centro.

A Guarda identificou 30 pessoas que comercializavam diversos tipos de produtos: aparelhos eletrônicos, utensílios de cozinha, bolsas femininas, CD e DVD piratas, óculos de grau, bijuterias artesanais, alimentos, entre outros. No entanto, o município permite apenas atuação em áreas determinadas, como a Rua Epitácio Pessoa (ao lado do Cenip), a Praça Clementina de Jesus (atrás de um grande supermercado do Centro), a Rua Teresa, a Praça da Liberdade, entre outros.

Já os ambulantes irregulares se baseavam ao longo da Rua do Imperador e da Paulo Barbosa. Todos eles foram orientados a buscar legalização junto ao departamento de Trabalho e Renda da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e se candidatar a uma vaga nos locais cadastrados pela prefeitura. Na sequência, houve apreensão de produtos de quem insistiu em permanecer – isso aconteceu duas vezes.

Num segundo momento, a Guarda destacou homens para fazer o patrulhamento da Rua Teresa e da 16 de Março, dois pontos tradicionais do comércio petropolitano. Simultaneamente, a quantidade de rondas cresceu bastante, o que permite esses flagrantes que ocorreram nos últimos dias.

"A simples presença da Guarda já inibe diversos tipos de delitos. Com as nossas rondas, estamos conseguindo proteger nosso comércio. Continuamos expandindo a atuação. Vamos chegar a outros locais e dar cada vez mais segurança para os comerciantes", garantiu o comandante da Guarda Civil, Jeferson Calomeni.