Dono de lava-jato é autuado no Morin



Fiscais da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente notificaram o dono de um lava-jato na Avenida General Marciano Magalhães, no Morin, na terça-feira (21.02). O estabelecimento não tem alvará de localização e nem a licença ambiental obrigatória para este tipo de atividade. O responsável precisa apresentar os documentos em um prazo de 90 dias, caso contrário, ele será multado. Os agentes chegaram até o local por intermédio de denúncias de moradores, que estavam preocupados com o descarte de água dentro da nascente de um rio.

“Não podemos permitir esse tipo de infração. Além da falta dos documentos necessários para o funcionamento correto do negócio, o proprietário não teve o cuidado de efetuar o descarte deste material altamente poluente de forma correta. É importante dizer que a licença ambiental é obrigatória para este tipo de atividade. O dono foi notificado e precisa apresentar os documentos em um prazo de 90 dias. Caso contrário, será multado”, explicou o fiscal da Secretaria de Meio Ambiente, Miguel Fausto.

A equipe da Secretaria autuou também o dono de um terreno na Rua General Marcelo Magalhães, no bairro Fazenda Inglesa, por dano ao meio ambiente. Houve movimentação de terra e o corte de árvores sem prévia autorização. Os fiscais flagraram também a extração do talude.

“Não existe nenhum tipo de permissão para nada do que foi feito aqui. Ele será autuado por dano ambiental”, disse o biólogo da Secretaria de Meio Ambiente, Ives Jaensch. “Nos dois casos, chegamos ao local graças à denúncia dos moradores. Essa parceria com a população é fundamental para o nosso trabalho”, afirmou.

Comentários