Registros pluviométricos estão 40% mais altos em Petrópolis

Número de raios também aumentou 38% em comparação a 2015


Em comparação com janeiro de 2016, o ano começou mais chuvoso: os registros pluviométricos estão 40% mais altos. Nos últimos trinta dias, choveu 460 milímetros na Rua 24 de Maio, no Centro. Foi o maior registro no período. A previsão do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cptec) serve de alerta para a adoção de ações preventivas durante o período, que se estende até a primeira semana de abril.

Para o secretário de Defesa Civil, Paulo Renato Vaz, a população precisa agir com paciência e bom senso.

“Se está chovendo muito, com descargas elétricas e riscos de inundações e a pessoa não tem a necessidade urgente de sair de casa, é melhor ter um pouco de paciência e aguardar. Mas, se já estiver na rua, o ideal é procurar um ambiente fechado, evitando assim as situações de risco”, explicou o secretário.

Outro ponto abordado pelo secretário Paulo Renato Vaz é o aumento da incidência de raios em Petrópolis. O Grupo de Eletricidade Atmosférica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais divulgou que, só em 2016, foram registrados em Petrópolis 7.300 raios. O índice é quase 38% superior, se comparado ao ano de 2015, quando houve a incidência de 5.300 registros.

"A população deve evitar andar por zonas descampadas - características das áreas rurais - evitar ficar na piscina e até mesmo não abrir torneiras, já que a água é um excelente condutor. Além disso, é preciso evitar ficar debaixo de árvores e postes, já que eles atraem os raios", orientou o secretário.

Ao menor sinal de alagamento, procure um local seguro

O secretário Paulo Renato Vaz também solicita à população prudência na hora de se abrigar e evitar situações de risco.

"O ideal é sempre agir rápido e procurar um local seguro. Essa semana tivemos o caso de um homem que ficou preso em um ponto de ônibus e depois foi resgatado. Se você está em um local aberto e está percebendo que vai alagar, deve procurar o local mais seguro próximo, o mais rápido possível", pediu.

No caso de qualquer ocorrência, o morador deve ligar para o telefone 199 apoio da Defesa Civil. A ligação e o serviço são gratuitos.

Comentários