Palácio Rio Negro é reaberto à visitação e informações são incluídas no Disque Turismo



Um dos prédios mais suntuosos do Centro Histórico de Petrópolis que já abrigou presidentes da República, o Palácio Rio Negro, será reaberto à visitação nesta terça-feira (10), após um ano fechado, e terá apoio da Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis com inclusão das informações do atrativo no Disque Turismo (0800-024-1516). O prédio, que é administrado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), reabre com uma novidade: a visitação será estendida aos domingos.

“Apesar desse equipamento cultural ser federal, ele com certeza é importante e complementa nosso roteiro turístico, não só por sua beleza mas por sua história. Já iniciamos o diálogo com o Palácio Rio Negro e já incluímos todas as informações referentes ao atrativo no nosso Disque Turismo. A partir desta terça todo material que divulgamos no nosso segmento estará com as informações do espaço e no atendimento do Disque Turismo, caso algum visitante solicite”, explicou Marcelo Valente, responsável pelo setor de Turismo na FCTP.

Conhecido também como Palácio dos Presidentes, o prédio erguido em 1889 pelo rico produtor de café Manoel Gomes de Carvalho, o Barão do Rio Negro, chama a atenção pela beleza e arquitetura. Um projeto do engenheiro Antonio Januzzi, a construção eclética inclui escadaria e pisos em mármore, salões com piso forrado de parquet composto por madeiras nobres do Brasil com desenhos de grãos de café. A partir de 1903, o prédio serviu de residência de verão a diversos presidentes da República. Em 2005, passou a ser administrado pelo Iphan.

A visitação, que é gratuita, será de terça a domingo, das 10h às 17h. O Palácio Rio Negro fica na Avenida Koeler nº 255, no Centro. Mais informações podem ser obtidas pelo Disque Turismo por meio do (0800-024-1516), pela FCTP (24) 2233-1200 e direto no atrativo, pelo telefone (24) 2246-2423. Agendamentos de escolas podem ser feitos pelo telefone (24) 2246-2378 ou pelo e-mail mprn@museus.gov.br.

Comentários