segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Pagamento dos funcionários do HAC entra na conta nesta terça-feira



A Secretaria de Saúde depositou nesta segunda-feira (16.01) o valor do salário referente a dezembro vencido no dia 05 dos 759 profissionais de saúde do Hospital Alcides Carneiro. Os R$ 2,7 milhões - que quitaram a folha de pagamento - foram depositados no início da tarde por determinação do prefeito Bernardo Rossi.  

 “Assim que assumimos a prefeitura nos deparamos com o salário e 13º dos servidores da saúde lotados no Sehac em atraso. Firmei o compromisso junto com o Secretário de Saúde de honrarmos com os direitos dos funcionários e proporcionar condições de trabalho aos profissionais de saúde para o pleno funcionamento do Hospital Alcides Carneiro”, afirma o prefeito Bernardo Rossi. 

O secretário de Saúde, Silmar Fortes, destacou que o respeito aos direitos trabalhistas é fundamental para o bom funcionamento da rede pública de Saúde. 

“Deparamos-nos com diversas irregularidades na secretaria e por conta disso foi preciso começar a organizar a casa. Rever fluxos, demandas, serviços e setores, mas a falta do pagamento dos servidores foi considerada uma ação de extrema urgência para solucionarmos. Conseguimos pagar o 13º que estava em atraso e agora o salário, ações como essa mostram que o prefeito tem uma política de respeito com os servidores e todos os demais profissionais que atendem a população na rede pública”, disse Silmar Fortes. 

A gestão atual da Secretaria de Saúde começou sua administração esse ano com um déficit de R$ 2 milhões e há ainda uma dívida de R$ 48 milhões a ser paga. Com a avaliação feita em duas semanas de trabalho, Silmar Fortes pontuou os diversos problemas que serão enfrentados durante o ano, desde os setores administrativos aos de assistência.

“Nós temos ações emergenciais que precisam se revistas o quanto antes e outras serão projetadas em etapas. Foi identificado um grande número de exames, consultas e procedimentos realizados mensalmente sem contrato em unidades de saúde particular o que acarretou uma falta de receita para o município de R$ 4 milhões. Já os gastos com procedimentos contratualizados somam R$ 16 milhões mensais. As questões dos contratos e o pagamento das dívidas são pontos que já estão sendo discutidos e avaliados. Em médio prazo vamos reformular as práticas e gerir de forma responsável e acertada”, garante Silmar Fortes.

Nenhum comentário: