Governo Rossi revê despesas e corta privilégios de chefes de setores da Secretaria de Educação



A Secretaria de Educação está organizando um novo organograma com a intenção de otimizar o trabalho feito pelos setores da pasta. Essa é uma das medidas que estão sendo tomadas para garantir a melhor utilização dos recursos públicos, cortando desperdícios. Os telefones corporativos dos chefes de setores da secretaria foram cortados, os alugueis de 16 imóveis estão sendo reavaliados e, em médio prazo, todos os setores da secretaria serão informatizados e integrados. A implantação de um software permitirá a criação de um cadastro com todas as escolas e também com o histórico escolar de todos os alunos, o que proporcionará um acompanhamento individualizado. A medida também vai favorecer a troca de dados entre os servidores da secretaria e as escolas.

As ações estão sendo feitas atendendo à determinação do prefeito Bernardo Rossi. “Estamos promovendo uma reorganização interna que facilitará o trabalho dos servidores. Com isso, também vamos agilizar o atendimento ao público. Temos a obrigação de garantir que a verba pública seja utilizada com responsabilidade. Diante do caos financeiro que encontramos na secretaria, temos que cortar o máximo de gasto e garantir que o serviço seja prestado com melhoria na qualidade”, afirmou o prefeito Bernardo Rossi.

Uma das metas da secretaria é o investimento em informatização.

“A nossa meta é de implantar um sistema que guarde todos os dados das escolas, como o número de alunos e cada matrícula. Isso facilitará o nosso trabalho e permitirá uma comunicação mais abrangente com as diretoras. Uma empresa já está estudando a melhor forma de colocar em pratica esse sistema, assim que a situação financeira da secretaria for normalizada. Também para cortar gastos desnecessários, todos os contratos estão sendo revistos, inclusive os da merenda. Essa medida permitirá a composição de um cardápio mais equilibrado e de acordo com os objetivos traçados no plano de governo”, disse o secretário de Educação Anderson Juliano.

Os gastos com alugueis de imóveis estão sendo revisados. São 16 imóveis, que garantem uma despesa anual de R$ 1,5 milhão e uma dívida acumulada de R$ 129 mil. O secretário de Educação determinou ainda que todos os veículos oficiais da secretaria sejam restituídos, no final do expediente de trabalho, aos pátios e estacionamentos oficiais. A decisão foi tomada após a constatação do setor de transportes da secretaria de que alguns veículos estavam sendo levados para outros municípios, como São José do Vale do Rio Preto e Duque de Caxias, após o expediente, na administração passada. Além disso, a inspeção constatou que estavam sendo utilizados mensalmente 6 mil e 700 litros de diesel em todos os 26 veículos da secretaria.

“Os gastos estão sendo revisados com a intenção de se promover uma utilização justa e correta da verba pública”, completou Anderson Juliano.