Em três semanas Bernardo Rossi quitou R$ 6,1 milhões em dívidas do município

Acerto de salários e consignados atrasados consumiu R$ 4,6 milhões

Com pouco mais de três semanas à frente da administração do município, o prefeito Bernardo Rossi quitou R$ 6,1 milhões em dívidas acumuladas do ano passado.  A maior parte dos recursos – R$ 4,6 milhões – foram usados para quitar débitos referentes a parcelas de empréstimos consignados, e a salários de profissionais de saúde que estavam atrasados junto ao Serviço Social Autônomo Alcides Carneiro (Sehac) e Cruz Vermelha - entidade responsável pela administração das UPAs Centro e Cascatinha.

“O pagamento de contas mais urgentes está sendo feito pela Secretaria de Fazenda em paralelo ao trabalho de apuração das dívidas, negociações e planejamento para superarmos o passivo de R$ 130 milhões acumulado no ano passado. A prioridade tem sido acertar contas relacionadas aos funcionários como salário e parcelas de consignados, para que o atendimento à população não seja prejudicado”, pontua o prefeito Bernardo Rossi. 

Nos primeiros 20 dias de governo o município repassou R$ R$ 3,6 milhões ao Serviço Social Autônomo Alcides Carneiro (Sehac) para quitar pendências com funcionários do Hospital Alcides Carneiro. Foram R$ 908 mil referentes a parte do 13º salário que estava atrasado, e outros R$ 2,7 milhões para quitar vencimentos de dezembro de 759 profissionais de saúde.

Já a Cruz Vermelha, responsável pela administração das UPAs Centro e Cascatinha, recebeu na última semana R$ 180 mil referentes a repasses pendentes desde dezembro, sendo R$ 90 mil referentes à UPA Centro e outros R$ 90 mil referentes a unidade de Cascatinha.

Parcelas atrasadas de consignados junto a instituições bancárias, sindicatos e administração vinculada, consumiram R$ 853 mil. A maior parte dos recursos – R$ 722 mil foi destinada à quitação de parcelas de empréstimos consignados descontadas dos salários dos servidores e não repassadas à Caixa Econômica e ao Banco do Brasil – dívidas que no total perfazem o montante de R$ 3,8 milhões.

“Somente consignados descontados dos funcionários Saúde em novembro e que não haviam sido repassados ao Banco de Brasil e à Caixa somaram R$ 506 mil. Quitamos ainda R$ 216 mil referentes a parcelas de empréstimos consignados de funcionários da administração direta da prefeitura”, explica o secretário de Fazenda Heitor Luiz Maciel Pereira.

A Secretaria de Fazenda destinou ainda R$ 130 mil para quitar pendências junto ao Instituto de Previdência dos Servidores - R$ 87 mil; e União dos Aposentados - R$ 42 mil referentes a débitos dos meses de novembro e dezembro.

O município destinou ainda R$ 1,3 milhão para quitar uma nota fiscal da Companhia de Desenvolvimento de Petrópolis – parte do valor utilizado pela Comdep para quitar débitos, referentes a pensão alimentícia descontados dos funcionários e não repassados, e vale transporte.

Outros R$ 186 mil foram destinados ao pagamento de parcela atrasada desde o mês de novembro junto à Agencia Estadual de Fomento (AgeRio) referente à compra de máquinas, caminhões e equipamentos em 2014.

“Este pagamento foi necessário para evitar que o município fosse inscrito no Cadin  - Cadastro informativo de créditos não quitados”, explicou o secretário de Fazenda Heitor Pereira, lembrando que assim como no Cadastro Único de Convênios (CAUC), a inclusão do nome da cidade no Cadin impede a chegada de recursos ao município. A Secretaria de Fazenda está levantando ainda as pendências referentes a tributos não repassados ao Governo Federal, que colocaram o nome de Petrópolis no CAUC, para que seja possível negociar os débitos.

Comentários