Dívidas da prefeitura com Cartão Sisep chegam a R$ 1,3 milhão




Com quatro meses sem repassar valores descontados da folha de pagamento de servidores referentes às despesas com o Cartão Sisep, a prefeitura acumula hoje uma dívida que alcança R$ 1,3 milhão junto ao Sindicato dos Servidores de Petrópolis (Sisep). Relatório encaminhado pelo órgão à Secretaria de Fazenda, mostra que somente valores descontados dos servidores da Educação, e não repassados pela administração anterior chegam a R$ 712 mil. O montante da dívida supera R$ 1 milhão, se somados os débitos referentes aos valores servidores da Saúde – R$ 318 mil neste período.

“A análise detalhada dos números nos mostra um rombo cada vez maior nas contas. Esta questão do cartão de compras do Sisep é urgente, pois impacta não só a vida dos servidores que contam com o cartão para fazer compras, mas também a economia pois o cartão ajuda a movimentar o comercio na cidade”, pontua o prefeito Bernardo Rossi, que na semana passada se reuniu com o presidente do Sisep, Osvaldo Magalhães, e reafirmou que manterá o diálogo aberto com o Sindicato.

O documento, entregue pelo Sisep mostra que nos meses de setembro e outubro, a dívida acumulada pela prefeitura é de R$ 132 mil. Em novembro, o montante que deixou de ser repassado chega a R$ 463 mil. Além dos servidores da prefeitura, e das Secretarias de Saúde e Educação, o relatório do Sisep aponta ainda débitos referentes a despesas de servidores ativos e inativos do Inpas, Fundação de Cultura e Turismo, Companhia de Desenvolvimento (Comdep), e Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans).

O atraso no repasse das mensalidades e consignações assistenciais de convênio dos funcionários públicos, que são usadas para subsidiar as compras no comércio e diversos outros serviços.

“O relatório encaminhado pelo presidente do Sisep está sendo avaliado pelo nosso setor de contabilidade. Vamos analisar as pendências e verificar também os valores descontados na folha de pagamento dos servidores. Após a conclusão deste trabalho, iniciaremos o processo de negociação com o Sindicato para resolvermos esta questão o quanto antes”, explica o secretário de Fazenda, Heitor Luiz Maciel Pereira.  

Durante a reunião com o Sindicato, o prefeito Bernardo Rossi destacou que vem trabalhando desde o dia da posse na prefeitura para sanar o atual quadro de caos financeiro e lembrou que o município acumula uma dívida de R$ 565 milhões, sendo R$ 130 mil somente referentes ao exercício de 2016. 

Comentários