Dívidas com consignados dos servidores é de R$ 2,1 milhões.



Com dívidas de R$ 2,1 milhões referentes à falta de repasse dos empréstimos consignados dos servidores, a Caixa Econômica Federal está apresentando ao governo Bernardo Rossi, oficialmente, o saldo devedor. 

Importante como veículo de transferência de recursos de programas federais para o município, a CEF, por meio dos gerentes Guilherme Pedro Hammes (Agência Imperial) e Luiz Claudio Alves (Gerente Área de Governo) também mostrou à nova gestão, os 22 contratos mantidos hoje com recursos vindos da União, na ordem de R$ 150 milhões.

“Temos de regularizar a situação dos consignados e, ao mesmo tempo, criar relacionamento com a Caixa, não apenas para os convênios em vigor, mas como banco oficial do governo, responsável pela liberação de recursos de programas sociais e habitacionais”, afirmou o prefeito Bernardo Rossi.

Com dívida de R$ 130 milhões apenas referente a 2016, o município, com caixa zerado, luta para sanear as contas e manter os serviços à população.  

“Lamentável que as dívidas com os servidores persistam ainda que tenha sido recolhido em folha o pagamento pelos empréstimos firmados.  Esta é uma de dezenas de situações irregulares que estamos encontrando na prefeitura”, frisou Bernardo Rossi.

Deixaram de ser recolhidas à Caixa os empréstimos consignados da folha de pagamento de novembro, da administração direta e, em dezembro, de todo o funcionalismo.

Luiz Claudio Alves considerou produtiva a reunião com o prefeito Bernardo Rossi.

“É preciso estreitar o relacionamento e reunir esforços para sanar débitos.  Vamos ter contato permanente com a cidade e ter mais parcerias”. 

Comentários