terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Bernardo Rossi decide criar força tarefa para que todas as escolas recebam os reparos



Um levantamento feito pela gestão da Secretaria de Educação constatou que a maioria das escolas da rede municipal de ensino está precisando de reparos emergenciais. Telhados e calhas quebradas, falta de contenção de encostas, infiltrações e diversos danos elétricos e hidráulicos são alguns dos problemas encontrados nas unidades de ensino. O que mais chama a atenção é que algumas escolas passaram por reformas recentemente, segundo o governo passado.

“Temos que resolver esses problemas que são gravíssimos e retratam a falta de atenção da administração passada com o lugar onde as crianças passam a maior parte do tempo. Isso é um absurdo e precisa de uma solução rápida”, disse o prefeito Bernardo Rossi.

A vistoria foi feita a partir de um pedido do prefeito Bernardo Rossi. No CEI Carolina Amorim, localizado na Estrada da Saudade, foram constatadas infiltrações, telhas quebradas e bebedouros com vazamento. Quando chove, ocorrem alagamentos na rampa de acesso ao segundo andar por conta das infiltrações. Os azulejos estão soltando e as calhas também estão quebradas.

“São problemas estruturais que deveriam ter sido resolvidos há muito tempo. Infiltrações que colocam a saúde das crianças em risco. Uma força tarefa terá que ser feita para que todas as escolas recebam os reparos que tanto precisam”, afirmou o secretário de Educação, Anderson Juliano.

Na escola Professor Josemar Contage, em Corrêas, há infiltrações na maioria das salas, a parte elétrica está danificada e algumas tomadas estão remendadas com fita isolante. Além, disso, o pátio está rachado e as telas de proteção estão destruídas. Na Escola Municipal São Pedro de Alcântara, localizada na subida da Serra, há vazamentos nos banheiros, infiltrações no teto, portas quebradas, quadros e pisos rachados. As telhas estão quebradas e os móveis estão sendo atacados por cupins.

Já na Escola Municipal Theodoro Machado, localizada no Vale do Cuiabá, o telhado está caindo, a pintura descascando e o piso está rachado. Na Escola Municipal Magdalena Tagliaferro, em Corrêas, há tanques interditados, azulejos quebrados, escovódromo com vazamento, infiltrações, parte elétrica danificada e banheiros completamente destruídos.

Nenhum comentário: