Vereadores aprovaram remanejamento de R$ 36 milhões para cobrir parte deste déficit e salvar salários da Saúde



O orçamento do município para 2017 na ordem de R$ 881 milhões foi aprovado nesta quinta-feira (22.12) pela Câmara de Vereadores com uma emenda importante para reduzir o rombo na folha de pagamento dos funcionários da saúde de R$ 60 milhões. Vereadores aprovaram remanejamento de R$ 36 milhões para cobrir parte deste déficit.  A aprovação da emenda foi pedida publicamente pelo governo eleito de Bernardo Rossi que calcula dívidas de R$ 130 milhões somente este ano nas contas municipais e de mais de R$ 585 milhões de endividamento total acumulado do município.

                “Já vínhamos alertando para o caos financeiro instalado e a importância de haver o remanejamento de verbas para cobrir parte do rombo da folha da saúde desde que foi iniciada a transição.  Os vereadores foram sensíveis ao apelo no orçamento para o ano que vem porque em 2015 quando aprovaram o orçamento do atual exercício, por força da bancada governista, deixaram de fora uma emenda idêntica até no valor porque já era previsto desde então o rombo na folha da saúde”, aponta Renan Campos, coordenador do grupo de transição, que participou da sessão de votação do orçamento.
                “A grave situação econômica do município está sendo exposta pelo governo de transição e mostramos a todos os vereadores, independente de suas cores partidárias, que o que está em evidencia é o risco de a cidade sofrer ainda mais perdas sem a colaboração no sentido de adequar o orçamento às despesas que são previstas. Uma vitória para a bancada do PMDB e de apoio ao  prefeito eleito Bernardo Rossi”, considera o presidente da Câmara de Vereadores, Paulo Igor.

               No total, incluindo os remanejamentos para a Saúde,  foram aprovadas 27 emendas. Além da emenda dos R$ 36 milhões para a folha de pagamento ter sido aprovada por unanimidade, outras cinco emendas também receberam sinal verde do legislativo reforçando os recursos para a Saúde, com os remanejamentos, em quase R$ 39 milhões. Os vereadores reservaram recursos para aquisição de equipamentos para atendimento de média e alta complexidade em hospitais da rede pública, para atendimentos odontológicos, de saúde mental, dependência química e campanhas de prevenção a doenças como o câncer.

                Emendas apresentadas destinam para outras áreas destinam ainda R$ 2,8 milhões para a elaboração de um plano de mobilidade urbana para o município; R$ 3 milhões para intervenções como drenagem e desassoreamento de rios e construção de gavetas no cemitério, por exemplo; R$ 640 mil para a área de cultura; R$ 500 mil para reforma de escolas da rede municipal; R$ 500 mil para atendimento a animais de rua e R$ 43 mil para atividades esportivas voltadas para pessoas da terceira idade.

                O orçamento de 2017 é R$ 30 milhões superior ao deste ano, perfazendo R$ 881 milhões,  porém  a previsão de arrecadação ao longo do próximo ano é 3,5% superior apenas, contra uma inflação de pelo menos 7%. A Saúde terá em 2017 cerca de 30% dos recursos do Orçamento - R$ 299 milhões -  e a Educação R$ 232 milhões - 0,98% de aumento em relação ao orçamento de 2016, quando a área recebeu R$ 229 milhões.

Comentários