Rossi decide diminuir cargos comissionados, secretarias e reabrir emergência do Hospital Alcides Carneiro

Prefeito eleito no último domingo (30) concedeu entrevista coletiva e anunciou que vai reduzir secretarias e cargos


Rômulo Barroso - romulobarroso@diariodepetropolis.com.br / fonte: Diário de Petrópolis

Um dia após ser eleito como novo prefeito de Petrópolis a partir de 2017, Bernardo Rossi concedeu entrevista coletiva de quase uma hora. Ele comentou sobre diversos pontos, como a montagem do secretariado, a transição de governo, o planejamento do trabalho, entre outros temas. O peemedebista afirmou que fará uma reforma administrativa para o início do governo, com redução de secretarias e corte de cargos comissionados. Apesar disso, não deu detalhes sobre o tamanho do enxugamento da máquina.

– Nossa prioridade é enxugar a máquina. Nossa prioridade é que o orçamento caiba na máquina. Mais do que o número grande de secretarias, elas têm é que funcionar. A gente vem conversando com diversas áreas, com diversos segmentos e ouve: “poxa, tem a secretaria, mas ela não funciona”. A prioridade hoje é ter uma diminuição. A gente está trabalhando isso, mas estou afirmando que vai ter diminuição. Ainda não temos aqui como falar como vai ser – disse Bernardo Rossi.

Bernardo Rossi ainda não definiu outros nomes para a montagem do secretariado, mas disse que buscará “as pessoas mais técnicas da área possíveis” e que cobrará resultados. No domingo, pouco depois do encerramento da apuração dos votos, ele disse que convidou o presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sicomércio), Marcelo Fiorini, para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, e o presidente da Câmara, Paulo Igor – sem indicar qual pasta.

– Não tenho todos os nomes, ainda vou discutir. Não estou escondendo, ainda vou discutir, sim. Vou tentar buscar as pessoas mais técnicas da área possíveis, que a gente possa confiar, pessoas que deem resultado. Não deu, vai ser assim com o Paulo Igor, com o Fiorini, vou dizer: “muito obrigado, mas a cidade em primeiro lugar” – comentou.

“Não existe revanchismo, agora é o momento de unificar a cidade, de ajudar Petrópolis. Eu não tenho dúvidas de que eles vão nos ajudar na transição” Bernardo Rossi – novo prefeito de Petrópolis

Segundo Bernardo, ele e aliados devem ir à Brasília (DF) entre essa e a próxima semana para articular com deputados de partidos da base do peemedebista para pedir emendas parlamentares para Petrópolis.

– Pela manhã estive com o Paulo Igor, com o Maurinho (Branco) e com o Baninho (vice dele) trabalhando já com alguns deputados federais emendas parlamentares, pois será aberta agora a temporada de recursos de emendas. A gente já está se organizando para ir quinta-feira, no máximo terça a Brasília – informou. Ele citou o caso de recursos do orçamento da União que foram destinados a Petrópolis e acabaram não aplicados.

Nesse momento, a montagem será feita em cima da formação de dois grupos: um para tratar de questões emergenciais e outro para o planejamento da cidade em longo prazo.


– Nós vamos dividir em duas equipes. A equipe emergencial vai tratar das questões de capina, coleta de lixo, merenda escolar, remédio. Mas se você só fica nisso, você esquece de planejar a cidade. E aí vamos chamar gente, como, por exemplo, NovAmosanta, para estar nesse núcleo. É um exemplo de pessoas e instituições que querem contribuir e têm boas ideias para planejar a cidade, pensar a cidade daqui a 15, 20 anos, bem depois do Bernardo prefeito. Petrópolis está carente desse planejamento para a cidade – afirmou.

Transição e início de governo

O novo prefeito evitou disparar críticas ao atual chefe do Executivo, mas também não fez elogios. O peemedebista disse vai manter o que está funcionando, mas não citou exemplos. De acordo com ele, esse é o momento de unificar a cidade após uma disputa tão acirrada.

– O que está funcionando, nós vamos fazer questão de melhorar e ampliar. Acabou essa eleição. Zerou. Eu vou ligar daqui a pouco, mais um ou dois dias, para o prefeito. Esquece, não existe revanchismo, agora é o momento de unificar a cidade, de ajudar Petrópolis. Eu não tenho dúvidas de que eles vão nos ajudar na transição, vão abrir os números – declarou. Segundo ele, o processo de transição já teve início ao procurar servidores municipais que ajudaram a montar o plano de governo.

Sobre o início do mandato, ele ressaltou que o plano de governo prevê ações que para os 100 primeiros dias, para o primeiro ano e para todo o mandato. Mas destacou o que espera conseguir fazer logo em 2017.
– A nossa perspectiva, no momento curto, é cumprir compromissos, por exemplo, na área de saúde, reabertura da emergência do Hospital Alcides Carneiro, a unidade de pronto atendimento 24 horas em Itaipava; na educação, cumprir com o servidor, implantar, com outras secretarias, o ensino integral nas escolas; na questão da geração de empregos, é trazer mesmo empresas para a cidade, utilizar o governo do estado para trazer para cá empresas de tecnologia junto com o secretário (Gustavo) Tutuca, que já disse que vai direcionar, fora a capital, que Petrópolis seja o destino – falou.

– Não tem como no período de quatro anos a gente não transformar o turismo da nossa cidade. Só não faz se não quiser. Acredito muito que, com a articulação política que eu tenho, esses recursos federais de mobilidade urbana nós vamos conseguir fazer novamente. Vai ser um legado fazer o trevo de Bonsucesso, a ponte do Arranha-Céu, Ponte Fones, Duas Pontes. Se eu não fizer a ligação Bingen-Quitandinha, o Baninho morre – brincou Rossi.

Comentários

Parabéns ao prefeito eleito e seu vice. Tenho certeza que nossa Petropolis crescera muito com competência do Baninho e a disposição do Bernardo rossi.

Leo Lima disse…
Excelente iniciativa e bons projetos. Nossa cidade tem um potencial turístico ENORME e recursos federais existem basta boa vontade e técnica em montagem de projetos para liberação dos recursos. Vamos torcer que o futuro prefeito seja feliz nas suas escolhas e decisões.