Prefeitura elabora plano de trabalho para resposta a desastre



Uma engenheira do Ministério da Integração Nacional esteve nesta quinta-feira (17/11) em Petrópolis em reunião com engenheiros, geólogos e arquitetos da Prefeitura – das secretarias de Defesa Civil e Segurança Pública e de Obras. Nas reuniões realizadas ao longo do dia e na vistoria na Rua Uruguai, no Quitandinha, os técnicos trabalharam na elaboração de um plano de trabalho para a resposta às consequências das chuvas na cidade.

Desde sábado, foram 160 ocorrências registradas pelo telefone 199 desde sábado (12/11). Na mais grave delas, na noite de segunda-feira (14/11), um desplacamento de rocha de mais de 1.000 toneladas na Rua Uruguai, no Quitandinha, a 200 metros de altura, destruiu três casas, causando duas mortes. O desplacamento ainda atingiu outras duas casas e destruiu um trecho da rua. São 15 famílias desalojadas, que foram para a casa de parentes, por conta do isolamento de um trecho de 100 metros da via.

“É fundamental essa parceria do Ministério da Integração Nacional com a Prefeitura para darmos essa resposta rápida à população de Petrópolis. A fase atual é extremamente técnica, criteriosa, então para nós foi muito importante a vinda de uma engenheira do ministério para nos auxiliar na elaboração desse documento que será apresentado ao governo federal”, disse o prefeito Rubens Bomtempo, que anunciou no dia 15 a decretação de situação de emergência. “Estamos ainda no início do período de chuvas”, lembrou.

A engenheira Andressa Della Justina auxiliou os técnicos da Prefeitura na elaboração do documento que aponta os efeitos das chuvas dos últimos dias e a necessidade de um aporte financeiro do governo federal.

“A Prefeitura decretou a situação de emergência. Agora, esse decreto tem que ser reconhecido pelo governo federal. Para isso, é preciso fornecer informações sobre danos públicos e privados”, disse a engenheira Andressa Della Justina.

Além da Rua Uruguai, as chuvas dos últimos dias ainda causaram o deslizamento de uma rocha de cerca de 70 toneladas no Meio da Serra. A rocha já foi implodida por empresa contratada pela Prefeitura.

Para os últimos 30 dias, eram esperados 300 milímetros de chuva em Petrópolis. No entanto, em alguns pontos, como o São Sebastião, as chuvas já passam de 600 milímetros no período.

A Defesa Civil orienta a população para que fique atenta, em função dos acumulados de chuvas do último mês, que deixam o solo encharcado. É fundamental que moradores jamais permaneçam em imóveis ou áreas já interditados pela Defesa Civil. Esses moradores devem procurar local seguro, como casas de amigos ou parentes que não fiquem em áreas de risco. No caso de qualquer sinal de instabilidade na casa ou no terreno, o morador deve ligar para o telefone 199 e pedir uma vistoria preventiva da Defesa Civil. A ligação e o serviço são gratuitos.

Comentários