terça-feira, 15 de novembro de 2016

Prefeito eleito quer estar a par de todas as ações preventivas da Defesa Civil mesmo antes de tomar posse



O prefeito eleito Bernardo Rossi esteve na manhã desta terça-feira (15.11) na Rua Uruguai, no Quitandinha, onde um deslizamento de pedras, na madrugada, destruiu casas e fez duas vítimas fatais.  Ele esteve acompanhado do subsecretário estadual de Obras, João Carlos Grillo, e técnicos do órgão que iniciam nesta quarta-feira vistorias para diagnosticar o tipo de contenção que pode ser feita no local.

Mais de 1,2 mil toneladas de pedras se desprenderam de uma encosta e atingiram cinco casas.  Toda a área em mais de 150 metros está isolada. “Uma ocorrência imprevisível e que é própria da natureza. No local não há ação de desmatamento ou dano ambiental que pudesse ter provocado o deslizamento de pedras”, afirmou o comandante do 15º Grupamento do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel Agostinho Sequeira.

“Me solidarizo com as famílias das vítimas. Minha preocupação como prefeito eleito e estar a par de todas as ações preventivas da Defesa Civil mesmo antes de tomar posse. Essa transição de equipes na Defesa Civil precisa ser a mais tranquila, célere e responsável de todas pelo período de chuvas que começou agora e só se encerra em março e diante da necessidade de ser um trabalho ininterrupto”, afirma Bernardo Rossi.

O prefeito eleito falou dos primeiros atos da equipe de transição que pediu prioridade não só na liberação de documentos da Defesa Civil como também de detalhes operacionais do órgão e demais secretarias no trato com desastres naturais e prevenção. No início do mês Bernardo Rossi já esteve, em seu primeiro ato como prefeito eleito, reunido com a equipe do projeto Gides que tem Petrópolis como uma das três cidades piloto no país para um programa de prevenção e mitigação de efeitos de desastres naturais, uma parceria com o governo do Japão. Bernardo garantiu a continuidade do programa em seu governo.

A equipe de transição do governo eleito de Bernardo Rossi também participou na semana passada de audiência na 4ª Vara Cível reunindo a Defesa Civil e órgãos municipais como a Secretaria de Trabalho e Assistência Social. A audiência especial foi motivada por ação civil pública movida pelo Ministério Público Estadual.  O MP encontrou falhas no Plano de Contingência em relação a deslizamentos e enchentes principalmente no atendimento a desabrigados. Na ação, a promotoria aponta, com pedido de tutela antecipada, providências a serem tomadas em 60 e 90 dias.

“Estamos buscando todo o tipo de envolvimento e em todas as esferas, inclusive com o judiciário, para que a transição seja feita de forma regular e transparente e que trabalhos como o da Defesa Civil estejam garantidos sem um dia sequer de interrupção. Isso é prioridade em cidades como a nossa sujeita aos desastres em função das chuvas”, completa Bernardo Rossi.

No local do acidente, também houve preocupação com o resgate de animais e de objetos pessoais de famílias que precisaram deixar suas casas.  O apoio aos moradores e protetores para o resgate dos animais foi dado pelo Instituto Estadual do Ambiente, Corpo de Bombeiros e pelo chefe da Rebio Araras, o geógrafo Ricardo Ganem. O prefeito eleito Bernardo Rossi esteve acompanhado ainda do vice-prefeito, Baninho e do presidente da Câmara de Vereadores, Paulo Igor.

Nenhum comentário: