sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Hugo Leal participa de seminário em Washington



O deputado federal Hugo Leal (PSB/RJ), autor da Lei Seca, participa nesta sexta, em Washington, (EUA) de seminário internacional sobre a redução mundial no consumo de bebida alcoólica. O deputado brasileiro, também coordenador da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, foi convidado para o evento pela Georgetown University e pelo Centro de Liderança Pública e debaterá políticas públicas para redução do consumo de álcool e os impactos da Lei Seca no trânsito.

O encontro, focado na América Latina, reúne especialistas de vários países e se insere no esforço da Organização Mundial de Saúde (OMS) para reduzir em 10% o chamado consumo nocivo de álcool. no mundo até 2025. "No caso do trânsito, qualquer nível de consumo de bebida alcoólica é perigoso. A Lei Seca foi um grande avanço e tornou-se uma referência: a tendência mundial é criminalizar quem dirige sob efeito de álcool", argumenta o deputado Hugo Leal.

Também participam do encontro Ricardo Ernst, diretor da McDonough School of Business, da Universidade de Georgetown; Tony Bliss, especialista em segurança viária e consultor internacional na área de trânsito, o professor William Encinosa, pesquisador em saúde do Escritório Nacional de Pesquisas Econômicas, Jorge Mora Alfaro, diretor da Faculdade Latinoamericana de Ciênciais Sociais (Flacso), Paulina Duarte, diretora do Departamento de Segurança Pública da OEA (Organização dos Estados Americanos) e o doutor Arthur Guerra de Andrade, presidente do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool. entre outros especialistas.

O tema do seminário - que reúne ainda executivos de empresas fabricantes de bebidas - é Consumo inteligente e responsável de bebidas alcoólicas: desafios e oportunidades em Busca do sonho de reduzir em 10% o consumo até 2025. "No caso do trânsito, está mais do que provado que não é inteligente nem responsável dirigir sob a influência de bebidas alcoólicas. Estamos na década mundial da segurança viária e para alcançarmos a meta global de reduzir as mortes no trânsito em 50% até 2020, devemos combater qualquer mistura de álcool e direção", afirma Hugo Leal.

Nenhum comentário: